Icone informações
Quero agendar
uma consulta
Icone informações
Quero mais
informações
Sobre o que você deseja saber?
Preencha os dados abaixo, selecione o assunto de interesse e receba informações exclusivas!

Cisto no ovário engorda? Leia nosso texto!

Cisto no ovário engorda? Leia nosso texto!

Postado em: 14 de maio de 2019

As dúvidas sobre o cisto ovariano são muitas. O problema está relacionado ao câncer? Devo me preocupar? Como fazer o diagnóstico? Ainda assim, uma das principais delas é: cisto no ovário engorda? O questionamento ocorre devido à sensação de inchaço que muitas pacientes sentem. Os cistos no ovários são problemas mais comuns do que se […]

As dúvidas sobre o cisto ovariano são muitas. O problema está relacionado ao câncer? Devo me preocupar? Como fazer o diagnóstico? Ainda assim, uma das principais delas é: cisto no ovário engorda? O questionamento ocorre devido à sensação de inchaço que muitas pacientes sentem.

Os cistos no ovários são problemas mais comuns do que se imagina. Segundo estimativas, cerca de 20% das mulheres sofrem do problema ao longo da vida. Além disso, a maioria delas tem entre os 15 e 35 anos, período em que seu sistema reprodutor tem maior atividade.

Um cisto no ovário nada mais é do que uma “bolsa” de líquido. Ele se forma dentro ou a redor do ovário. É comum que as mulheres desenvolvam essas bolsas algumas vezes durante a vida. Porém, a maioria delas é benigna, e desaparece sem nenhum sintoma ou intervenção médica.

Mas nem todos os cistos são assim. Alguns provocam sintomas, como dor pélvica, e podem precisar ser retirados por cirurgia. Por isso é tão importante que a mulher visite seu ginecologista de modo regular. Com este cuidado, o médico pode acompanhar o quadro de saúde feminino, e perceber qualquer formação prejudicial. Quanto antes qualquer problema for tratado, melhores os resultados.

Principais tipos de cistos ovarianos

O acúmulo de líquido em um cisto pode ocorre devido a desordens hormonais da mulher, mas algumas vezes podem ser também associados ao próprio ciclo menstrual natural . Vários fatores podem desencadear essas desordens — desde mudanças no dia a dia, até aspectos genéticos e outros problemas no sistema reprodutor. Existem diversos tipos de cisto ovariano, que variam conforme o seu tamanho, causa e gravidade. Veja a seguir algumas informações sobre cada um.

Cisto folicular

Cistos foliculares se formam quando um óvulo fica “preso” no ovário e não se rompe e neste caso geralmente a  ovulação não acontece. O óvulo é o gameta feminino e, a cada mês, um é liberado  próximo a tuba uterina.

Após a sua liberação, a célula aguarda, a chegada de um espermatozoide. É por meio da união entre óvulo e espermatozoide que a gravidez acontece.

Quando não é fecundado, ou seja, quando não se une ao espermatozoide, o óvulo se dissolve. Dias depois, ele é liberado na menstruação, junto ao endométrio descamado. O endométrio é a camada interior do útero, e tem como objetivo permitir o início do desenvolvimento de um embrião.

Um cisto folicular geralmente possui tamanho entre 2,5 cm e 10 cm. É comum que ele desapareça sozinho, e dificilmente a mulher apresenta sintomas após a sua formação.

Cisto de corpo lúteo

O cisto de corpo lúteo se forma todos os meses quando existe a ovulação. No local onde se formou o cisto folicular após o seu rompimento e consequente liberação do óvulo existe uma reorganização das células em volta desta “ cicatriz” da ovulação formando o chamado corpo lúteo. O corpo lúteo é de fundamental importância quando a mulher engravida pois as suas células produzem um hormônio chamado progesterona que ajuda na implantação do embrião e é responsável pela manutenção da gestação até formação da placenta que ocorre geralmente por volta de 12 semanas.   Os cistos de corpo lúteo também costumam desaparecer sozinhos quando a mulher não engravida.

Cisto hemorrágico

Cistos hemorrágicos são uma das principais causa dor pélvica. Eles ocorrem quando existe um sangramento durante a formação do corpo lúteo e se forma um coágulo no ovário. Este sangramento pode ser leve causando apenas um desconforto pélvico , mas quando existe um sangramento mais intenso pode em alguns casos levar a uma  hemorragia interna e muitas vezes é necessário uma intervenção cirúrgica para conter a hemorragia.

Cistoadenoma

Os cistoadenomas são geralmente formações císticas benignas que crescem nos ovários. Apesar de benigno, geralmente é necessário que o cistoadenoma seja retirado por cirurgia. Porém, a cirurgia é pouco invasiva, realizada por laparoscopia. A laparoscopia só faz três pequenos furos na região da pelve feminina, retirando o cisto por meio de alguns instrumentos cirúrgicos. Para a operação, uma microcâmera também é utilizada. Assim, as imagens de um monitor podem guiar o médico no interior do organismo da mulher.

Fibroma ovariano

os Fibromas também lesões benignas mas geralmente são sólidas e podem a até mais de 20 cm. Sua retirada também é feita por cirurgia, geralmente laparoscópica.

Endometrioma ovariano

O endometrioma é resultado de uma endometriose,  apesar de nem sempre acontecer em mulheres com a doença. Normalmente o tratamento é cirúrgico quando seu tamanho é maior que 5 cm , mas existe a possibilidade de tratamento com medicação. Sempre é necessario, nos caso dos endometriomas, avaliar o futuro reprodutivo para se tomar a melhor decisão de tratamento.

Quais os sinais de alerta para o cisto no ovário?

Como já citado, existem muitos casos em que os cistos no ovário não provocam nenhum sintoma. Quando os sinais ocorrem, porém, eles podem ser variados. Às vezes, eles desaparecem, assim como os cistos desaparecem sozinhos. Em outros casos, porém, são intensos e recorrentes. Nessas situações, é fundamental que a mulher procure auxílio do seu ginecologista. Assim, será possível realizar o diagnóstico e tratamento mais adequados.

Os possíveis sintomas de um cisto são:

  • Dor na região pélvica, apenas de um lado (onde o cisto está localizado);
  • Dor durante relações sexuais com penetração;
  • Dor durante a ovulação;
  • Irregularidade na menstruação;
  • Sangramento vaginal fora do período menstrual;
  • Sensibilidade intensa nas mamas;
  • Dificuldade para engravidar, devido às alterações hormonais e dificuldades de ovulação.

Com um cisto, é possível que a mulher sofra uma torção do ovário. O problema é mais comum quando as formações são maiores do que 8 cm. Neste cenário, as dores se tornam muito mais intensas, e há náuseas e vômitos. Esse tipo de ocorrência é considerada uma emergência médica, e a mulher deve correr ao pronto-socorro. É necessário realizar cirurgia para curar a condição.

Os problemas costumam ser maiores quando a mulher possui ovários policísticos. Saiba tudo o que você precisa sobre a Síndrome dos Ovários Policísticos clicando aqui.

Cisto no ovário engorda?

O inchaço da região pélvica também pode ser um sintoma do problema. Com o inchaço, a mulher pode ou não perceber o aumento de peso. Não especificamente pelo cisto, mas devido às alterações hormonais do organismo. O problema também costuma dificultar o emagrecimento.

Tudo acontece porque alterações hormonais favorecem o acúmulo de gordura, e também a obesidade. Além disso, essas alterações podem provocar a queda de cabelos, acne, seborreia e aumento dos pelos corporais.

Também é comum, nessas mulheres, a maior ocorrência de diabetes, hipertensão arterial e a queda do colesterol bom. Por isso, é fundamental que as pacientes tenham atenção ao seu sistema reprodutor. Mudanças no sistema podem afetar todo o organismo.

A mulher com cisto no ovário ainda pode vivenciar perda ou ganho repentino de peso. Isso sem realizar nenhuma dieta ou mudança no dia a dia. Esses são sinais de atenção igualmente importantes.

Tratamento do problema

Assim que perceber sintomas ou alterações como o aumento de pelos, a mulher precisa consultar seu ginecologista. No consultório, o médico realizará exames como a ultrassom e a laparoscopia diagnóstica. Também é comum que a mulher precise realizar exame de sangue.

Diagnosticado o problema, o médico pode perceber que o cisto irá desaparecer sozinho. Assim, ele fará a prescrição, apenas, de remédios para o controle dos sintomas. Como o Dipirona e os anticoncepcionais orais. O uso dos anticoncepcionais, aliás, costuma ser bastante efetivo para a regularização do sistema hormonal feminino.

Quando a mulher sente dor na região pélvica, ela também pode utilizar compressas de água morna. O acessório consegue aliviar o desconforto.

Porém, nem sempre medidas simples são suficientes. Em casos mais graves, em que o cisto é muito grande, provoca torção do ovário, ou tem indícios de câncer, o médico pode indicar uma cirurgia. O câncer de ovário é o oitavo tipo mais incidente no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

É comum que a cirurgia para tratamento dos cistos seja laparoscópica, menos invasiva e com tempo menor de recuperação. Saiba mais sobre a laparoscopia acessando este texto.

Agora você já sabe que o cisto no ovário engorda, mas devido às alterações hormonais do organismo. Quer saber mais sobre a saúde da mulher e as chances de gravidez? Acesse o blog da Clínica Gera e navegue pelos nossos textos!