Como Engravidar de Menina? Leia este artigo!

Não é incomum que os pais sonhem com um menino ou uma menina, especificamente. Afinal, ter um bebê de um determinado sexo cria uma série de expectativas e planos. Se este é o seu caso, e você deseja engravidar de menina, este é o texto para você. Nele, você poderá acompanhar dicas e sugestões de como engravidar logo.

Apesar do que muita gente acredita, não é a mulher que determina o sexo de um bebê. Na verdade, quem determina o sexo do bebê é o conteúdo do espermatozoide, ou seja a chance de ser um menino e uma menina, é uma “condição” do homem.

A lógica cromossômica

Um embrião é gerado por meio da junção entre um óvulo e um espermatozoide. O primeiro é a célula reprodutora feminina e, geneticamente, possui os cromossomos X. Já o homem produz seus gametas com cromossomos X ou Y. Os cromossomos são  sequências de DNA que carregam toda a informação genética dos indivíduos, incluindo, por exemplo, a cor dos cabelos e a predisposição para o desenvolvimento de alguma doença, como o diabetes.
Uma menina é gerada quando o espermatozoide que alcança o óvulo na fecundação tem o cromossomo X. Ou seja, dá-se origem a um bebê XX. Um menino, por outro lado, é gerado quando o espermatozoide fecundante possui cromossomo Y – resultando em um indivíduo XY.
Tudo isso significa o seguinte: não há muito que, cientificamente, possa ser feito para determinar o sexo de uma criança na concepção natural. O espermatozoide mais rápido, irá definir essa característica, e é impossível prover aquele que irá alcançar o óvulo após a relação sexual. É o primeiro espermatozóide que conseguir entrar no óvulo é que vai determinar o sexo do bebê.  
Assim, não há garantia de que o sexo de bebê será determinado por ações para ajudar na concepção de uma menina como praticar relações sexuais entre dois e quatro dias antes da ovulação.

Como prever a ovulação?

Uma mulher que possui ciclo menstrual regular convive com um intervalo de 28 dias entre uma menstruação e outra. Nessas situações, torna-se mais fácil prever a data da ovulação, uma vez que ela geralmente ocorre no 14º após o primeiro dia da última menstruação.
A ovulação consiste no processo que libera o óvulo na tuba uterina. Ela deixa a célula disponível para a fecundação por aproximadamente 72 horas. Se o gameta é fertilizado por um espermatozoide, gera um embrião e migra para o útero, onde se gruda na parede uterina e passa a desenvolver um bebê.
Caso não seja fecundada, a célula se degenera após essas 72 horas, e seus resíduos serão liberados cerca de 12 dias depois, na menstruação. A menstruação também é formada pela descamação da parede interna do útero, chamada de endométrio. O endométrio é preparado mensalmente pelo corpo para receber um embrião.
Para acompanhar o seu ciclo fértil, é interessante que a mulher utilize a chamada Tabelinha. O método é muito conhecido para o uso anticoncepcional, apesar de não ser eficaz para evitar a gravidez. Afinal de contas, a ovulação é sempre prevista, mas pode ser adiantada ou atrasada por uma série de fatores, como a alimentação e o estresse.
A mulher que não possui ciclo regular precisa acompanhar essa previsão em alguns meses, e logo terá uma média estabelecida para tentar engravidar de uma menina. Mas, como foi dito não há garantia de que irá ocorrer.

Prazo para concepção

É importante destacar que um casal costuma levar até 12 meses para alcançar uma gestação natural. Isso porque, a concepção só é possível quando o óvulo feminino está disponível, e isso corresponde a um curto período do mês.
Após um ano, contudo, o insucesso das tentativas pode indicar algum problema de infertilidade. Por isso, é fundamental que o homem e mulher procurem um médico e realizam exames para o diagnóstico da condição. Caso algum problema seja detectado, ele poderá ser tratado, ou então o médico indicará o uso de uma técnica de reprodução assistida.

Gravidez por reprodução assistida

Se o objetivo é realmente engravidar de uma menina ou menino, o casal pode optar pela fertilização in vitro ou inseminação artificial. Ambas as opções são, inclusive, indicadas quando o casal apresenta problemas de fertilidade.
A inseminação artificial é realizada por meio da coleta dos espermatozoides por meio da masturbação. As células são, então, inseridas no fundo do útero da mulher, e de lá nadam de encontro ao óvulo. Normalmente, a técnica é indicada para casos de pouca mobilidade do gameta masculino, ou de alterações discretas funcionais ou anatômicas vaginais.
Já a fertilização in vitro consiste na coleta dos espermatozoides e do óvulo, que são unidos em laboratório, gerando um embrião. Este embrião é cultivado por alguns dias e depois transferido para o útero feminino, onde deve se fixar (implantar). Caso consiga fazê-lo, dá-se origem a uma gravidez.
No Brasil, o Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Conselho de Ética Médica não permite a opção da escolha do sexo do bebê somente por objetivo do desejo pessoal.  Um método para definição do sexo do bebê só é permitido no País se for utilizado na tentativa de evitar doenças genéticas ligadas ao sexo. Esse é o caso, por exemplo, da hemofilia, que tem ocorrência mais comum nos homens.
Nessa situação, é utilizada a chamada sexagem, em que, após a fertilização in vitro, só são transferidos para o útero da mulher embriões livres da doença genética. Para isso, é realizada biópsia no embrião, que identifica os cromossomos X ou Y das células.

Como engravidar de uma menina?

Como citado no tópico anterior, não existe um método científico 100% eficaz para a escolha do sexo do bebê – a não ser a técnica de fertilização in vitro com o diagnóstico genético do sexo do embrião, feita em laboratório. Isto não é permitido no Brasil se for somente para atender a um desejo do casal, tem que haver indicação médica. Então, cuidado com quem viabilizar esta conduta, pois poderá fazer outras que não seria a autorizada.  Porém, há uma série de indicações populares que prometem a certeza em engravidar de menina. Nenhuma delas tem comprovação. O que se pode fazer é dar dicas de como engravidar de menina ou menino e não especificamente de um determinado sexo. O Conselho Federal de Medicina proíbe a utilização da tecnologia da reprodução assistida como maneira da escolha de sexo da criança sem indicação médica.

1. Consulte um médico

Consultar um médico e verificar a sua saúde é uma ótima forma de iniciar as tentativas de concepção. isso porque, o especialista pode indicar suplementos alimentares, assim como fazer o diagnóstico de problemas que possam dificultar a gravidez. Aliás, quando um problema de infertilidade é percebido logo neste início, pode ser logo tratado, evitando meses de tentativas frustradas.
Neste caso, também é importante que o homem procure um médico e realize testes específicos. Dessa forma, qualquer impedimento da sua fertilidade será percebido e tratado.

2. É importante menstrual ciclicamente.

Se não estiver menstruando ciclicamente, engravidar naturalmente de menina ou menino será muito difícil. Caso isto esteja acontecendo, provavelmente você deve ter alterações hormonais que dificultam a ovulação e a concepção. 

3.  Acompanhe seu período fértil

Como citado ao longo deste texto, uma mulher só pode engravidar quando seu óvulo está disponível para a fecundação. Logo, é importante saber prever a data da ovulação e programar a intensificação da prática sexual neste período. Quando tem relações sexuais entre o 10º e 18º dia de seu ciclo menstrual, a mulher tem muito mais chances de conceber.

4. Mude sua dieta

É importante destacar aqui que a dieta da mulher é fundamental para o desenvolvimento saudável do embrião. Assim, o consumo de alimentos após a concepção deve seguir com rigorosidade o que for indicado pelo médico em parceria com o nutricionista.

5. Tenha atenção à dieta

O processo de gestação, da sua concepção ao parto, requer um corpo saudável. Dessa forma, é fundamental que a mulher invista em uma alimentação rica em vitaminas e minerais, assim como os que possuem grande quantidade de ácido fólico.
Por isso, consuma muitas frutas, vegetais de cor verde-escura, ovos, azeite e grão-de-bico. Alguns destes alimentos pode, inclusive, auxiliar no controle hormonal no corpo da mulher. São os hormônios que comanda a ovulação, e é importante que eles estejam na quantidade correta no organismo.

5. Pratique esportes

Outro modo de manter a saúde do corpo em dia é fazer a prática regular de atividades físicas. Além de auxiliar no sistema hormonal, o esporte melhora a capacidade circulatória do organismo.
Ao mesmo tempo, ele relaxa o indivíduo. Quando deseja engravidar, é comum que homem e mulher se sintam pressionados e/ou ansiosos, o que prejudica o quesito hormonal e, em consequência, a liberação do óvulo e produção dos espermatozoides.
Os esportes ao ar livre ajudam na produção de vitamina D pela exposição à luz solar, importante para concepção.  A maioria da pessoas tem deficiência ela por conta das atividades diárias que se restringem a ambientes internos.

6. Mantenha a calma

Todos sabemos que é difícil não é fácil manter a calma, bem como até que ponto o estresse prejudica a concepção. Mas, é fato que interfere. É interessante que o casal adote a prática de um hobbie para relaxar. Tirar um tempo livre e se dedicar ao descanso é igualmente benéfico.

7. Consuma ácido fólico

O ácido fólico é um nutriente fundamental para o bebê. É ele que garante o correto desenvolvimento especialmente do cérebro e terminações nervosas do organismo. Dessa forma, é indicado que a mulher passe a consumir o suplemento fólico assim que se decidir pela gravidez. O medicamento deve ser indicado pelo médico, para que o produto seja utilizado na dosagem adequada.

8. Atenção ao tempo de concepção

Como explicamos, um casal geralmente demora no  máximo 12 meses para atingir a concepção natural. Um período de tentativas maior do que esse, no entanto, pode indicar a infertilidade. O problema deverá ser tratado para que a concepção natural ocorra.
Caso o tratamento da condição não dê resultados, o médico poderá indicar o uso de alguma técnica de reprodução assistida. Além da inseminação artificial e a fertilização in vitro, já citadas, existem outras técnicas. Como o coito programado e a ICSI.
A técnica do coito programado é uma das mais simples disponíveis para os pacientes com problemas de concepção. Ela consiste na indução da ovulação da mulher, por meio do uso de remédios hormonais, que promovem o amadurecimento do folículo ovariano. Assim que este folículo atinge 18 mm, a mulher recebe uma dosagem do hormônio hCG e seu óvulo é liberado. O casal, então, é orientado a intensificar a prática sexual, favorecendo assim a concepção.
Já a ICSI é uma técnica muito semelhante à fertilização. No entanto, ao invés de diversos espermatozoides serem colocados junto ao óvulo, um único é escolhido. Para isso, o gameta é analisado em laboratório, tendo sua genética, mobilidade e outros fatores avaliados. Em seguida, ele é injetado no óvulo com uma fina pipeta, fecundando-o. O embrião é cultivado em laboratório por aproximadamente 5 dias, e depois transferido para o útero da mulher.
Antes da transferência do embrião para dentro do útero da mulher é possível determinar o sexo, se menino ou menina.  O exame genético do embrião, chamado Teste Genético Pré-implantacional é a única maneira de certeza para dizer se a criança será menina ou menino.  Mas, esta técnica não é permitida no Brasil, exceto para exclusão de doença.

Open chat
💬 Precisando de ajuda?
Olá👋Como posso te ajudar?