Icone informações
Quero agendar
uma consulta
Icone informações
Quero mais
informações
Sobre o que você deseja saber?
Preencha os dados abaixo, selecione o assunto de interesse e receba informações exclusivas!

Dor na Ovulação

Dor na Ovulação

Postado em: 11 de fevereiro de 2020

Quem já escutou a música da nossa musa do rock Rita Lee, que fala sobre ser mulher, vai conseguir entender sobre o que falaremos a seguir, a dor na ovulação. Afinal, “mulher é bicho esquisito, todo mês sangra”…  Todos os meses, o organismo da mulher sofre alterações hormonais durante o seu ciclo menstrual, desde a […]

Quem já escutou a música da nossa musa do rock Rita Lee, que fala sobre ser mulher, vai conseguir entender sobre o que falaremos a seguir, a dor na ovulação. Afinal, “mulher é bicho esquisito, todo mês sangra”… 

Todos os meses, o organismo da mulher sofre alterações hormonais durante o seu ciclo menstrual, desde a menarca (primeira menstruação), aos 11 anos de idade , até a menopausa, a partir dos 45 anos, em média. 

O ciclo menstrual é um processo fisiológico marcado pela ovulação, que caracteriza o período fértil da mulher, em que o organismo se prepara naturalmente para a reprodução e uma possível gravidez.

Independente de fecundação, isso ocorre mensalmente e costuma durar cerca de 36 horas (1 a 2 dias). Nesse período, é possível identificar alguns sintomas, sendo o principal uma leve dor na região pélvica, abaixo do ventre, em um dos lados dessa região, entre outros sintomas.

Portanto, essa dor durante a ovulação, também conhecida por “mittelschmerz”, pode ser considerada um indicativo para o início do período fértil. Ela é normal, no entanto, quando é muito intensa, quase insuportável e se prolonga por vários dias, pode também ser sinal de doenças como endometriose, gravidez ectópica ou de cistos nos ovários.

Mas na verdade, essa dor pode ocorrer em qualquer mulher em idade fértil durante a o período da ovulação, sendo até mais frequente em mulheres que estão em tratamento de infertilidade com remédios para induzir a ovulação.

Normalmente, a ovulação ocorre na metade do ciclo, sendo que para reconhecer esse período, é necessário estar atento à data da menstruação e do início das dores para ter certeza de que os sintomas se encaixam com o período da ovulação.

Para entender melhor a dor na ovulação, continue lendo o artigo abaixo!

Por que sentimos dor na ovulação?

Para entender a dor na ovulação é preciso observar o período menstrual.

Para entender a dor na ovulação é preciso observar o período menstrual.

Para entender a razão de sentirmos dor na ovulação, também chamada de Mittelschmerz, é preciso antes saber o que ocorre nesse período do ciclo menstrual. 

A ovulação ocorre nos ovários, onde ficam estocados os óvulos que toda mulher fabrica ainda em fase fetal. Toda essa reserva ovariana é produzida ainda na barriga da mãe dentro do útero dela. Em média a mulheres nascem com aproximadamente 3 a 5 milhões de óvulos e iniciam a menarca com algo em torno de 1 a 3 milhões. 

Todos os meses, um pouco antes de mesntruação descer existe um recrutamento de aproximadamente mil óvulos que são estimulados por hormônios principalmente o FSH (Hormônio Folículo Estimulante) e o LH (Hormônio Luteinizante). Durante esta atividade hormonal, os ovários que estão sob essa influência, ficam maiores, podendo sair de 45 centímetros cúbicos e chegar até 90 cm cúbicos.

Dentre os mil óvulos que começam a crescer a cada mês um único óvulo,  que contém mais receptores hormonais gera o chamado folículo dominante e é responsável pela ovulação. 

Para que a fecundação aconteça, o óvulo deve crescer e amadurecer dentro de um folículo, um tipo de cisto que se desenvolve no ovário. Normalmente, isso acontece no meio do ciclo menstrual (período fértil, 14 dias antes da menstruação), no qual esse folículo também atinge o tamanho de aproximadamente 2 cm e se rompe, expulsando o óvulo.

Este, por sua vez, é captado pela trompa onde fica à espera de um espermatozóide para ser fecundado por ele. Na ausência de espermatozóides, esse óvulo se degenera e é expelido na menstruação e o ciclo se reinicia novamente.

A dor na ovulação ocorre justamente por conta do ápice da estimulação o hormonal, ao aumentar os ovários e por conta do derramamento de líquido de dentro do folículo, que escorre na cavidade pélvica, podendo levar a uma irritação peritoneal e uma distensão da região. 

Sintomas da ovulação

A dor na ovulação pode ser leve à moderada.

A dor na ovulação pode ser leve à moderada.

Nem todas as mulheres são capazes de diferenciar os sintomas da ovulação, sendo que muitas nem percebem ou até confundem com cólicas menstruais. No entanto, a cólica é uma contração do endométrio, que ajuda na descamação dos tecidos uterinos, cessando logo após o término da menstruação.

No caso da ovulação, os sintomas são semelhantes a dor de leves pancadas a moderadas no baixo ventre, podendo também apresentar uma dor fina e aguda, fisgadas, câimbras e repuxadas mais fortes, que podem ser confundidas com gases, além de uma dor na região inferior do abdômen (região pélvica) do lado esquerdo ou direito, dependendo do ovário que estiver ovulando.

Embora seja raro, pode ocorrer também nos dois lados ao mesmo tempo, além de poder vir acompanhada de sangramento vaginal e enjoos, principalmente se a dor for severa. No entanto, esses sintomas podem ser ou não mais intensos em algumas mulheres e em outras nem tanto, principalmente para quem está tomando medicamentos para induzir a ovulação. 

Por exemplo, mulheres que estão utilizando citrato de clomifeno, podem sentir os ovários muito mais inchados e a dor na ovulação pode incomodar bastante. Neste caso, faz-se um exame médico para descartar a possibilidade de uma hiperestimulação ovariana.

Outros sintomas

Além da dor na ovulação, ocorrem também outros sintomas, como a saída de uma secreção do muco cervical, fino e bem fluido, semelhante à clara de ovo, meio elástica, sem odor forte. Além disso, a secreção vaginal normal, esbranquiçada que não coça, com o nosso cheiro característico, também aumenta de volume, indicando a fase mais úmida do mês.

Outro sintoma é um pequeno aumento na temperatura basal corporal em aproximadamente meio grau. No entanto, esse sintoma somente é percebido com a ajuda de um termômetro. Depois que a ovulação acontece, normalmente a temperatura aumenta 0,5 grau.

Algumas mulheres que estão tentando engravidar costumam monitorar essa mudança de temperatura todas as manhãs.

Por fim, há quem sinta também uma elevação da libido, aumentando o desejo sexual feminino. Sendo assim, é natural que a mulher tenha mais vontade de ter relações sexuais nesse período. 

Além disso, a produção de feromônios, substâncias que são exaladas pelo corpo com a finalidade de atrair e excitar o sexo oposto também aumentam, deixando também a mulher mais sensível e com o olfato mais apurado.

No entanto, vale ressaltar que além dos sintomas variar para cada mulher, inclusive em intensidade, apenas as mulheres que menstruam naturalmente e de forma regular podem apresentar esta sintomatologia.

No caso de mulheres que usam anticoncepcional isto geralmente não ocorre afinal, o mecanismo de ação principal desses métodos é exatamente a inibição da ovulação para não engravidar. Por isso, se a mulher usa usa corretamente a pílula, injeção, implante, adesivo ou anel vaginal não há como sentir dor na ovulação e nem essas variações de temperatura e de secreção vaginal.

Quanto tempo pode durar a dor na ovulação?

A dor na ovulação não dura por muito tempo.

A dor na ovulação não dura por muito tempo.

A dor na ovulação dura em torno de 1 ou 2 dias, às vezes até 3 dias, podendo também ficar em torno de uma semana, variando de intensidade mais forte a mais suave. Normalmente, é mais facilmente identificada ao ficar deitada ao apalpar a região dolorida.

Porém a dor não deve ultrapassar o prazo de oito dias e não pode ser intensa ao ponto de não aguentar fazer as atividades normais ou até colocar o pé no chão. 

Neste caso, recomenda-se procurar um médico para descartar condições mais sérias como, cisto do corpo lúteo hemorrágico,  endometriose, infecções sexualmente transmissíveis, cistos nos ovários, apendicite e até mesmo gravidez ectópica.

Mas a boa notícia é que esse processo só acontece uma vez no mês, sendo relativamente rápido, além de dependendo da sensibilidade da mulher e de cada ciclo, pois pode não ocorrer em todos eles.

Quando deve-se ir ao médico

Embora a dor na ovulação seja um sintoma normal desse período, podendo ocorrer ou não todos os meses do ciclo menstrual, existem situações em que se deve procurar ajuda médica para descartar problemas mais graves. Por exemplo:

  • Se sentir dor forte demais que não passa nem com medicação;
  • Se tiver febre alta;
  • Se sentir dor ao urinar;
  • Se tiver vômitos ou dor a meio do ciclo com mais de 1 dia de duração;
  • Se notar mudança repentina na cor ou odor do seu corrimento.

Como fazer o diagnóstico correto

A dor durante a ovulação é característica do local onde se encontra. Isto é, o útero fica localizado cerca de quatro dedos abaixo do umbigo e os ovários também nessa mesma altura. 

Sendo assim, a dor costuma aparecer em um dos lados ou na região abdominal inteira, tudo dependendo de qual ovário você estará ovulando, seja o do lado esquerdo, direito ou de ambos, em casos mais raros.

Mas para realizar um diagnóstico preciso, é necessário saber a data da primeira vez que a dor na ovulação apareceu. Dessa forma, é possível identificar se essa dor ocorreu durante o período ovulatório ou não.

Durante a consulta no ginecologista, o médico pode utilizar vários meios para o seu diagnóstico, a fim de determinar quando se a dor na ovulação é normal ou se é causada por alguma doença. Assim, ele avalia o histórico médico e realiza exames físicos e testes de sangue, para avaliar amostras de muco vaginal, além de pedir um ultrassom abdominal ou transvaginal.

Existem algum tratamento?

Existe tratamento para amenizar a dor na ovulação.

Existe tratamento para amenizar a dor na ovulação.

A dor na ovulação não é uma doença, por isso não possui cura ou tratamento. Como costuma durar apenas alguns dias, não é necessário tratar, mas pode-se amenizar os desconfortos com alguns medicamentos. 

É interessante lembrar que a chegada da menopausa impede a ovulação, acabando com as dores.

Em geral, os medicamentos mais utilizados costumam ser analgésicos, como o paracetamol, anti-inflamatórios como o naproxeno e o ibuprofeno, e antiespasmódicos por via oral ou venosa. 

Porém, você esteja tentando engravidar, não tome nenhum medicamento sem autorização médica, principalmente anti-inflamatórios porque podem interferir com a ovulação. Mas, se caso a dor volte a se repetir e o incômodo permaneça, procure o seu médico e peça uma solução mais definitiva.

Além disso, existem alguns cuidados simples que podem ajudar, como aplicar compressas quentes com bolsa de água quente na região do abdômen inferior, ou tomar um banho quente para ajudar a aliviar o desconforto, além de repouso.

Há mulheres que também sofrem com os sintomas durante o período menstrual, além das dores frequentes na ovulação. Nestes casos, é possível fazer uso de pílula anticoncepcional oral ou outros métodos contraceptivos.

Mas essa dor na ovulação pode ser sintoma de gravidez?

A dor na ovulação pode ser normal, mas não é um sinal de gravidez, pois normalmente aparece no meio do ciclo. Por isso, não pode ser confundida com gravidez porque uma gravidez só vai começar a dar sintomas de cólicas ou desconforto pélvico após o atraso menstrual.

Teoricamente, o dia mais fértil para ciclos de 28 dias é no 14º dia antes da próxima menstruação e a semana fértil se dá três dias antes e três dias depois do dia mais fértil.

Porém, nem sempre essa teoria se confirma, visto que a duração do período fértil é flexível até mesmo para quem tem ciclos regulares, podendo até acontecer em qualquer momento do ciclo apesar da data prevista para ovulação.

Já quem tem ciclos irregulares, esses sintomas são essenciais para identificar o início do período fértil, principalmente para quem está querendo engravidar. Neste caso a percepção do muco cervical e o aumento da temperatura basal podem ajudar.