Espermograma, o que é?

Espermograma, o que é?

O espermograma é exame laboratorial, que analisa a qualidade do sêmen do homem, de acordo com determinados critérios definidos pela Organização Mundial da Saúde. A amostra geralmente é obtida através da masturbação e, em casos especiais, com o auxílio de procedimentos como vibro-ejaculação ou eletro-ejaculação.

 


 

A análise engloba aspectos macroscópicos do ejaculado, como a viscosidade, liquefação, volume, coloração, e pH do material, assim como características microscópicas dos espermatozoides, como motilidade e morfologia.

Quando o Exame é Feito

O espermograma é o principal exame para avaliação da fertilidade do homem, e é feito quando há determinada condição física, genética ou imunológica que possa modificar condições espermáticas, levando a uma interferência na fertilidade.

No geral, é pedido em casos onde há os casais tem dificuldade para engravidar, mas pode ser solicitado também após a realização de vasectomia para ter certeza do sucesso do procedimento ou em casos de suspeita de processos infecciosos. Pode ser solicitado também quando há algum histórico que possa levar a infertilidade, como trauma testicular, infecções passadas ou varicocele.

Realização do Espermograma

O exame geralmente é realizado em laboratórios ou clínicas de reprodução humana e o material é obtido por meio de masturbação. Todavia, em casos onde há dificuldade de ejaculação, o material pode ser obtido em casa ou através de relação sexual com preservativo especial, que não atrapalha sua posterior análise. Nestes casos, o casal assina um termo de responsabilidade de que o material é do paciente em questão.

Significado do Resultado do Espermograma

Os resultados deste exame indicam como está a fertilidade do homem, podendo ajudar na conduta a ser tomada. Pode ser indicado tentativa de gestação natural, realização de inseminação artificial ou mesmo a fertilização in vitro, tratamento onde o óvulo é fertilizado com o espermatozoide fora do corpo da mulher.

Também pode gerar a suspeita de problemas em outros órgãos reprodutores, em especial na próstata.

O resultado de tal exame não é considerado definitivo. Quando o exame se revela alterado, deve-se repetir o exame pelo menos mais uma vez com um intervalo mínimo de 2 semanas, pois existem vários fatores transitórios que podem levar a estas alterações.

Dr. Fábio Ikeda
(Membro do Grupo GERA em São Paulo, Mestre em ginecologia pela Faculdade de Medicina da USP).

Em caso de dúvidas, consulte o seu ginecologista ou entre em contato conosco.

Notícias Relacionadas

Agende uma conversa