Icone informações
Quero agendar
uma consulta
Icone informações
Quero mais
informações
Sobre o que você deseja saber?
Preencha os dados abaixo, selecione o assunto de interesse e receba informações exclusivas!

Gravidez Gemelar: Um Guia Importante

Gravidez Gemelar: Um Guia Importante

Postado em: 27 de março de 2019

Com dúvidas sobre a gravidez gemelar? Quer saber como ela acontece, e quais os cuidados necessários? Acompanhe o texto e descubra! Conhece vários gêmeos, e tem a impressão de que eles são cada vez mais comuns? Bem, isso é realmente apenas uma impressão. Uma gravidez gemelar só corresponde a 1 ou 2% das gestações naturais […]

Com dúvidas sobre a gravidez gemelar? Quer saber como ela acontece, e quais os cuidados necessários? Acompanhe o texto e descubra!

Conhece vários gêmeos, e tem a impressão de que eles são cada vez mais comuns? Bem, isso é realmente apenas uma impressão. Uma gravidez gemelar só corresponde a 1 ou 2% das gestações naturais no mundo. No Brasil, em 2012, isso correspondeu a 58.571 pares de gêmeos, de quase 3 milhões de bebês nascidos naquele ano.

Uma gestação de gêmeos pode acontecer de duas formas. Na primeira, apenas um óvulo é fecundado mas, na hora de se desenvolver, o embrião se divide em dois. Neste caso, como os dois embriões são iguais, nascem gêmeos idênticos, chamados de univitelinos. Bebês univitelinos podem dividir a  mesma placenta.

Já os gêmeos bivitelinos têm origem em dois embriões diferentes. Esse tipo de gravidez ocorre quando a mulher libera mais de um óvulo no mês, e ambos são fecundados. Os bebês não são iguais, e possuem placentas diferentes. Apenas nesse tipo de gestação podem nascer um menino e uma menina, ou até mesmo crianças com traços e cores completamente diferentes.

As lógicas das gestações bivitelinas e univitelinas são as mesmas quando a gravidez é de múltiplos bebês (mais de dois). Segundo o Guiness Book, o recorde de crianças nascidas em um único parto foi de nove bebês, mas este tipo de ocorrência é pouquíssimo comum. As gravidezes mais recorrentes são de, no máximo, trigêmeos.

Como uma gestação começa?

Gravidezes acontecem quando o óvulo feminino é fecundado por um espermatozoide. O processo natural dessa fecundação ocorre após uma relação sexual sem o uso método anticoncepcional. Após a ejaculação masculina, vários espermatozoides são liberados na vagina da mulher e eles têm que “nadar” através útero até encontrar o  óvulo, que geralmente se está  aguardando a chegada dos espermatozoides  na tuba uterina.

Resultado de imagem para fertilization

Assim que os espermatozóides encontram o  óvulo um entre milhões acaba entrando e fecundando este óvulo, Após a fecundação  a célula feminina cria uma barreira para outros espermatozoides. Depois disto o embrião passa a se desenvolver, e “caminha” até o útero. O embrião precisa se agarrar ao endométrio, a parede interna do útero, para que  continue a sua a sua divisão celular e desenvolva até formar o feto.É neste momento que o amontoado de células pode se dividir em mais de um embrião.

Também pode acontecer de a mulher, naquele mês, liberar mais de um óvulo. Isso pode ocorrer por vários motivos, que exemplificaremos logo mais. Se todos os óvulos forem fecundados, uma gravidez múltipla terá início.

É importante destacar que, para que uma gravidez se inicie, a mulher precisa estar em seu período fértil. O período fértil é o prazo em que o óvulo está disponível para fecundação, e dura apenas 12 a 24 horas após a sula liberação dos ovários. Você pode saber mais sobre o período fértil feminino neste texto.

Mas quando será que há maior chance de uma gravidez de gêmeos acontecer? A seguir, citamos e explicamos algumas das situações mais comuns. Acompanhe!

Quando há gêmeos na família

Se a mulher possui familiares gêmeos, ela possui certa disposição genética a ter uma gestação deste tipo. Isso é ainda mais comum quando os gêmeos são parentes diretos, como irmãos, tios, avós e irmãos dos avós. Cabe  salientar que a história familiar aumenta a chances de gravidez de gêmeos bivitelinos.

Quando a mulher interrompe a pílula anticoncepcional

Pílulas anticoncepcionais são hormonais, e mudam todo o ciclo do corpo feminino. A ovulação, por exemplo, acontece devido a hormônios, e fica bloqueada com o uso da pílula.

Após a interrupção dos remédios, porém, todo o nível de hormônios no organismo da mulher muda. Isso pode causar desordens, especialmente na hora da liberação dos óvulos. É comum que mais óvulos sejam liberados nos primeiros meses, favorecendo a fecundação de mais de um óvulo. Porém via de regra a maioria das mulheres vão ovular somente um óvulo.

Com o uso da fertilização in vitro

Muita gente acredita que uma fertilização in vitro vai, invariavelmente, gerar uma gravidez gemelar. Este é um mito, mas não exclui o fato de que o tratamento pode facilitar esse tipo de gestação.

A fertilização in vitro é uma técnica de reprodução assistida. Ela é muito utilizada por casais heterosexuais que têm dificuldade de engravidar, por casais homossexuais, e até por pais/mães solteiros/solteiras. Para a sua realização, os óvulos são coletados e levados ao laboratório  junto a alguns espermatozoides. Lá, os gametas feminino e masculino são unidos. Em seguida, um embrião é gerado, e então se desenvolve podendo chegar até o estágio de blastocisto (geralmente 5 dias após a fertilização)

No passo seguinte, o embrião é transferido para o útero da futura mamãe, ou para uma barriga solidária. É neste momento que a fertilização pode favorecer a gravidez gemelar uma vez que podem ser  transferidos de 2 a 4 embriões  dependendo da idade de mulher.

Muitas vezes, para aumentar as chances de que o processo dê resultado, o médico transfere mais de um embrião para o útero. Se todos eles conseguirem se agarrar ao endométrio, haverá mais de um bebê em desenvolvimento. Por um processo natural, o embrião também pode se dividir em dois, gerando fetos univitelinos.

Graças à descendência

Pesquisas indicam que mulheres afrodescendentes possuem mais chances de ter gêmeos. Já mulheres asiáticas têm as menores chances de gerar mais de um bebê por vez.

Quais os sintomas da gravidez gemelar?

Para a confirmação de uma gravidez, gemelar ou não, só há um caminho: exames médicos, como o ultrassom. Porém, existem alguns sintomas sugestivos de que a mulher está gerando gêmeos. O primeiro deles é ter um pouco mais de dor tipo cólica . Outro sinal comum é o aumento do útero de forma mais acentuada que o normal. .

Também é possível suspeitar desse tipo de gravidez após o exame Beta HCG. O Beta HCG aparece alto quando a mulher está grávida, e com índices muito maiores na gestação de gêmeos. Na gravidez comum, o nível do hormônio costuma chegar a até 7.340 mlU/ml nas primeiras 5 semanas, e em 86.500 mlU/ml em 6 semanas. Já na gravidez gemelar, o índice pode alcançar os 10.276 mlU/ml e 121.100 mlU/ml nos mesmos períodos.

Os incômodos que uma gravidez pode causar, como enjoos, também são intensificados. Isso ocorre exatamente porque o nível de vários hormônios no organismo é bem maior.

Além disso, as complicações possíveis se tornam mais prováveis. Aqui, estamos falando de problemas como a diabetes gestacional e a hipertensão. É fundamental contar com acompanhamento médico dedicado, para prevenir ou tratar qualquer uma das complicações.

Quais os cuidados necessários na gravidez de gêmeos?

Resultado de imagem para twin pregnancy

Se a gestação é “em dobro” — ou até mais do que isso —, os cuidados durante toda ela também devem ser redobrados. Isso vai garantir a saúde da mãe e dos bebês, e o desenvolvimento correto das crianças. Acompanhe quais são os cuidados requisitados às futuras mamães.

Pré-natal mais detalhado

É bastante comum que, durante a gravidez gemelar, a mulher tenha que realizar muito mais exames e consultas. Normalmente, a visita ao médica ocorre de duas em duas semanas — enquanto na gestação comum, ela pode ser feita a cada quatro semanas. Além disso, as consultas passam a ser semanais quando a mulher alcança o 3º trimestre

Todo este cuidado acontece porque, biologicamente, o corpo feminino não está preparado para gerar mais de um bebê. Por isso, suas adaptações são bruscas, e o desenvolvimento dos fetos exige muito.

Quando a gravidez é univitelina, a atenção é novamente intensificada. Nessas situações, de duas crianças iguais, há a possibilidade de que ocorra a chamada transfusão feto-fetal. O problema acontece em cerca de 15% das gravidezes de gêmeos univitelinos.

A transfusão feto-fetal ocorre quando um bebê “rouba” o alimento do outro, devido a uma vascularização incorreta da placenta. Aqui, pode ser necessária uma cirurgia para a redistribuição da vascularização entre os fetos.

Alimentação na gestação de gêmeos

Sempre que uma mulher está grávida, ela ouve coisas como “come mais, você está comendo por dois!”. Quando a gravidez é de gêmeos, então, ela pode ouvir que está “comendo por três”, por quatro ou mais. Os conselhos, porém, não devem ser levados a sério.

Durante qualquer gravidez, o que a futura mamãe precisa fazer é ingerir um número maior de calorias. Mas isso não significa, necessariamente, comer em maior quantidade. Por isso, é essencial que a mulher conte com uma dieta balanceada e com os alimentos certos. É aí que entram as consultas com o nutricionista.

Geralmente, uma dieta para mulheres grávidas incluem cinco bases. São elas: o consumo de frutas, verduras e cereais integrais; o consumo de proteínas; carboidratos; leite e derivados; e ômega-3

As frutas e outros alimentos que vêm da terra são importantes porque são ótimas fontes de minerais, vitaminas e fibras. Já as proteínas, como as da carne e dos ovos, ajudam na formação dos tecidos do corpo e do sistema nervoso dos bebês.

Enquanto isso, os carboidratos são a principal fonte de energia do organismo feminino. Leite e derivados ajudam a manter uma placenta saudável, e ainda garantem o desenvolvimento dos ossos do feto. Por fim, o ômega-3 é essencial no desenvolvimento do cérebro dos gêmeos.

Com a dieta adequada, a mulher consegue manter os bebês e o seu próprio corpo nutridos e, ao mesmo tempo, pode controlar seu peso. Em uma gravidez gemelar, é comum que a mamãe engorde, pelo menos, 15 quilos. Porém, aumentar muito o valor na balança pode favorecer a diabetes e outros problemas — o que merece muito cuidado.

Manter repouso

Resultado de imagem para pregnancy home

Com mais de um bebê em desenvolvimento, o corpo feminino costuma apresentar muito mais sinais de fadiga. A sonolência, dores nas costas e dificuldades para dormir também são comuns. Assim, é interessante manter repouso sempre que possível. Colocar as pernas em uma almofada mais elevada ainda pode diminuir as dores nas pernas e na lombar.

No fim da gestação, o repouso se torna ainda mais importante. Afinal, nessa época, o colo do útero passa a ser mais pressionado, por uma série de fatores. Manter-se em atividade intensa poderia favorecer o nascimento prematuro das crianças.

Realizar atividades físicas regulares

Praticar atividades é fundamental para a saúde de qualquer pessoa, incluindo as grávidas. Por isso, é importante manter alguns exercícios durante a gestação. No entanto, eles precisam ser mais leves, e ter acompanhamento médico bem de perto. Só o especialista poderá indicar os movimentos ideais, principalmente evitando prejuízos à gestação.

Atenção a perdas de sangue

Durante qualquer gestação, a perda de pequenas quantidades de sangue é comum. Porém, na gravidez gemelar, sangramentos leves merecem mais atenção. Isso porque, elas podem indicar um princípio de abortamento espontâneo. Abortamentos deste tipo são muito comuns em gravidezes de gêmeos. Assim, o médico deve ser avisado. Se a mulher apresentar outros sintomas, como forte dor abdominal, deve buscar auxílio de um especialista imediatamente.

Como o parto dos gêmeos é realizado?

Mulheres grávidas de gêmeos possuem dois receios muito recorrentes. O primeiro deles é sobre o parto prematuro, e o segundo sobre a complexidade do procedimento. Além disso, há dúvidas se os bebês podem ou não nascer de parto normal. Nos próximos tópicos, falamos sobre todos estes aspectos. Continue acompanhando!

Parto normal ou cesariana?

De modo geral, cesarianas são realizadas apenas em casos de necessidade. Ou seja, quando um parto normal colocaria em risco a vida da mãe ou do bebê. Afinal de contas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o ideal é que a taxa de cesáreas fique torno de 10% a 15% em cada País. No Brasil, esse percentual chega a 41%. A recomendação existe porque parto normal traz uma série de benefícios que a cesariana não proporciona à mãe e bebê.

Resultado de imagem para childbirth twins

Na hora do parto, a mulher também pode escolher pela cesárea, mas apenas após conhecer todos os benefícios e perigos dos dois tipos de nascimento. Por lei, os médicos devem oferecer às pacientes o máximo de informação possível sobre o assunto.

O ponto é que gêmeos podem nascer tanto por parto normal, tanto por cesariana. A escolha vai depender da orientação médica e do quadro da paciente. Se o parto normal não gerar risco à saúde de todos, ele será o mais indicado.

Todos os gêmeos nascem prematuros?

Uma gravidez gemelar exige mais cuidados, e também pode trazer mais complicações. É comum, por exemplo, que ao fim da gestação, a pressão no colo do útero aumente consideravelmente. Ele passa a se dilatar, devido a hormônios e ao peso dos bebês. Isso pode favorecer o parto antes da hora, mas o nascimento prematuro não é uma regra.

O parto de gêmeos é mais complicado?

Sim, um parto de gêmeos é mais complicado. Vários fatores precisam ser considerados, e o obstetra deve ser rápido. Há o risco, por exemplo, de que a mulher tenha mais chances de ter, hipertensão gestacional,  parto prematuro, e  uma hemorragia pós parto. A realização de um pré-natal adequado costuma facilitar o parto, já que o médico vai conhecer, por exemplo, a posição comum dos fetos.

Por que a gravidez é medida em semanas?

Quantas vezes, ao questionar uma mulher sobre quantos meses ela está de gestação, você recebeu a resposta “X semanas”? Quase sempre, não é mesmo? Isso acontece porque os médicos se referem ao desenvolvimento do bebê em semanas contadas a partir do primeiro dia da última menstruação .  Uma gestação completa têm em média  40 semanas  sem menstruação. Do ponto de vista técnico considera-se o bebê prematuro se nasce com menos de 37 semanas, já uma gestação de tempo certo geralmente ocorre entre 37 e 42 semanas. 80% dos bebês vão nascer entre 39 e 41 semanas.

A contagem de uma gravidez em semanas acontece porque, a cada 7 dias, o desenvolvimento do feto avança um pouco mais. Sabendo o que é esperado para cada semana, o médico pode avaliar com mais cuidado se a gestação está correndo bem.

Resultado de imagem para pregnancy weeks

Outra curiosidade sobre o tempo de gestação é que é difícil definir a data exata do início da gravidez. Será que ela ocorreu no primeiro dia do seu período fértil? Ou quem sabe no segundo? Para facilitar o pré-natal, os especialistas começam a contar o início da gravidez no primeiro dia da última menstruação da mulher.

Agora você já sabe tudo o que precisa sobre a gravidez gemelar. Caso encontre dificuldades para engravidar, entre em contato com a Clínica GERA. Nossos especialistas podem te ajudar na realização deste sonho!