Icone informações
Quero agendar
uma consulta
Icone informações
Quero mais
informações
Sobre o que você deseja saber?
Preencha os dados abaixo, selecione o assunto de interesse e receba informações exclusivas!

Ovário Policístico Causa Dor? Guia Completo!

Ovário Policístico Causa Dor? Guia Completo!

Postado em: 22 de julho de 2019

Tem dúvidas se ovário policístico causa dor? Então, você veio ao texto certo! A seguir, nós explicamos tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Antes de falar dos sintomas dos ovários policísticos, porém, é preciso diferenciar o problema da Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP). O cisto ovariano é uma “bolsa” de líquido que […]

Tem dúvidas se ovário policístico causa dor? Então, você veio ao texto certo! A seguir, nós explicamos tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

Antes de falar dos sintomas dos ovários policísticos, porém, é preciso diferenciar o problema da Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP).

O cisto ovariano é uma “bolsa” de líquido que se forma, como uma consequência do ciclo ovulatório e em algumas vezes podem sem tumores benignos e raramente tumores malignos . São quatro os tipos de cisto possíveis.

Primeiro, o folicular, que se desenvolve onde a ovulação não foi liberada. Seu tamanho varia entre 2 e 5 cm. Eles costumam desaparecer em até 3 meses.

Já o cisto de corpo lúteo se forma e desaparece a cada mês. Este tipo de cisto aparece após a ovulação natural e é responsável pela produção de progesterona, hormônio fundamental na implantação do embrião e na manutenção da gestação nos primeiros três meses.

Enquanto isso, os cistos neoplásicos são formados pelo desenvolvimento desordenado das células. Apesar dessa característica, grande parte deles é benigno, porém raramente podem ser malignos.

Além disso, é possível que a mulher sofra do chamado cisto endometriótico. Trata-se de um tipo de endometriose que acomete os ovários.

Explicando a SOP

No caso da Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) apesar do nome sugerir que ovários tem muitos “cistos” na verdade trata-se de um disfunção do processo de ovulação ondes os folículos crescem mas a ovulação não ocorre todos os meses fazendo com que o ovário fique de tamanho maior que o normal e “cheio” de pequenos óvulos que não se desenvolveram.

Para o diagnóstico, o médico realizará exames de imagem e a análise das formações. Ao mesmo tempo, avaliará se os cistos precisam de tratamento, já que vários deles desaparecem sozinhos, sem nenhuma intervenção.

Os casos de SOP acontecem em cerca de 10% das mulheres em idade reprodutiva. Seus sintomas incluem infertilidade, acne, obesidade e irregularidade ou ausência da menstruação. Vale dizer que a SOP não tem a dor como um dos seus sintomas.

A seguir, falaremos dos sintomas do ovário policístico. Mas é importante destacar que nem todas as pacientes apresentam sintomas dos cistos.

Ovário policístico causa dor nas pernas?

Muitas mulheres relatam sofrer dores constantes nas pernas e nas costas. Essas dores acontecem quando o tamanho dos ovários aumenta de uma forma muito acentuada. . Afinal de contas, o espaço disponível na pélvis feminina não é tão grande. Dependendo da localização do cisto, ele pode comprimir alguns nervos e provocar essas dores. Isto é mais comum nos cistos de origem tumoral ou de endometriose. As paciente com SOP raramente tem dores fortes.

Ovário policístico causa dor na relação sexual?

Outra situação em que o ovário policístico causa dor é durante a relação sexual com penetração. De novo, o sintoma está relacionado ao tamanho e à localização do útero. Em alguns casos, os cistos vão parar próximos ao colo do útero, região que o pênis alcança com a penetração. O impacto da relação sexual pode gerar dor intensa durante o ato. Novamente este sintoma é mais presente em outro tipos de cistos ovarianos uma vez que no caso das paciente com SOP raramente os ovários aumentam muito a ponto de provocar dor deste tipo.

Ovário policístico causa dor pélvica?

A simples presença de um cisto não costuma provocar dores na região da pelve feminina. Ainda assim, elas podem surgir, especialmente durante a realização de movimentos mais intensos, como a prática de atividades físicas.

Também podem ocorrer situações de torção do ovário. Ou seja, casos em que o fino ligamento que leva sangue até o ovário é torcido, interrompendo o suprimento de sangue da área. Essa torção ocorre devido ao peso do cisto, que desordena o equilíbrio do órgão.

A dor provocada é aguda e pode vir acompanhada de náuseas e vômitos. Após o ocorrido, é importante que a mulher procure atendimento médico o mais rápido possível. Em grande parte das vezes, o quadro é uma emergência e requer a realização de cirurgia imediata para retirada do cisto.

Outros sintomas do ovário policístico

1. Irregularidade na menstruação

Outro efeito dos cistos é que eles podem alterar os níveis hormonais femininos. Como resultado, o ciclo menstrual sofre algumas mudanças, tornando a menstruação irregular. Ou devido à ovulação irregular, ou pela ausência da ovulação. Sangramentos espaçados e fora de época também podem acontecer.

2. Sensação de inchaço

Para muitas mulheres, a sensação de inchaço é intensa quando há um cisto instalado no ovário. O sintoma é mais comum quando o cisto tem mais do que 10 cm, causando a percepção de que a região da pelve está mais pesada. Além disso as alterações hormonais muitas vezes associada a SOP pode aumentar a retenção de líquidos e provocar uma sensação de inchaço. Ainda assim, vale destacar que o peso da mulher não sofre muita alteração.

3. Acne/ oleosidade pele e cabelos

As alterações hormonais ainda costumam provocar o desenvolvimento mais intenso da acne. Tanto no rosto, quanto nas costas femininas.  O aumento da oleosidade pode também aumentar a queda de cabelos

4. Demais sintomas

Além dos sinais citados, a mulher com ovários policísticos pode apresentar os seguintes sintomas: cansaço, náuseas, vômitos, dificuldade para engravidar, sensibilidade nas mamas.

Qual o tratamento para os ovários policísticos?

Como já citado, existem vários casos em que a mulher nem mesmo apresenta sintomas dos ovários policísticos. Em outras, não é necessário utilizar nenhuma intervenção médica, pois o corpo feminino elimina sozinho os cistos formados.

Fora essas situações, pode ser necessário tratar os cistos com hormônios injetáveis ou em forma de pílulas anticoncepcionais. Dependendo do tamanho dos cistos e da gravidade do problema, ainda pode ser recomendada a realização de uma cirurgia. Se feita por meio da laparoscopia, a cirurgia pode ser menos invasiva e ter prazo mais rápido de recuperação da paciente.

Dor nos ovários: outras causas possíveis

Se você leu este texto até aqui, viu que as dores provocadas pelos cistos no ovários são diversas e merecem atenção. Ainda assim, o problema pode nem mesmo provocar sintomas, o que é ótimo para a mulher.

Quando as dores surgem, porém, pode ser que elas sejam um indicativo de outras situações, e não dos ovários policísticos. A seguir, listamos três casos em que isso é mais comum. Acompanhe!

Ovulação

Algumas mulheres sentem a ovulação, o momento de liberação do óvulo. A dor é de intensidade média e ocorre em um dos lados da pelve. Ela costuma demorar minutos ou horas, e depois desaparece completamente. O incômodo é muito semelhante às cólicas menstruais, tão comuns. Em alguns casos, a mulher ainda sente enjoos e percebe um leve sangramento.

Quando esse tipo de dor acontece, a mulher pode utilizar um medicamento para a cólica. O analgésico costuma diminuir o incômodo até que o sintoma desapareça. No entanto, se a dor permanecer por mais de um dia, é essencial buscar um médico. Nesse caso, o incômodo pode ser sinal de um problema sério, e não apenas da ovulação.

Endometriose

A endometriose acontece quando a parede interior do útero, o endométrio, cresce desordenadamente para fora do útero. Em situações assim, o endométrio pode alcançar órgãos como os ovários, a bexiga, apêndice e até intestinos. Por isso, a dor pode se concentrar na região da pelve ou irradiar para as costas e outras regiões, locais em que os órgãos afetados estão localizados.

Além da dor, a endometriose costuma provocar sintomas como dificuldade para engravidar; problemas para urinar ou defecar; dores durante o contato íntimo com penetração; cansaço; náuseas e vômito.

A endometriose requer tratamento indicado por um especialista. Entre os métodos utilizados estão a regulação hormonal e a cirurgia para a retirada do tecido prejudicado.

Mulheres que não desejam engravidar e têm quadros intensos de endometriose também podem optar pela retirada completa do útero. Sem útero, não há endométrio e, consequentemente, não haverá novos incômodos com a endometriose. Essa decisão deve ser tomada após muita reflexão e com o aval médico.

Doença inflamatória pélvica

Por fim, pode ser que a dor na pelve seja resultado de uma infecção na vagina, colo do útero, endométrio, ovários, útero ou tubas uterinas. Ou seja, em qualquer dos órgãos do sistema reprodutor feminino. Nessas situações, a mulher ainda costuma vivenciar dor de barriga, febre, corrimento vaginal e dor durante a relação sexual.

Para indicar o tratamento ideal, o médico precisará realizar uma série de exames. Assim, ele poderá descobrir as causas do problema e tratá-lo com antibióticos. A avaliação do especialista é essencial antes de qualquer intervenção.

Agora você já sabe que o ovário policístico causa dor, mas que essa não é a única razão deste tipo de sintoma. Por isso, caso vivencie dores intensas e/ou recorrentes, procure um médico ginecologista. Passar pela avaliação do especialista é essencial para descobrir as reais causas do problema. Apenas com esse cuidado o médico poderá indicar o método mais eficaz para o seu tratamento.