Quando a medicina permite escolher o sexo do bebê?

Ao decidir engravidar por meio da reprodução assistida o casal chega ao consultório cheio de dúvidas. Entre elas estão: como será a procedimento? quais medicamentos e cuidados e preciso tomar? e também, se dá para escolher o sexo do bebê.

A questão é polêmica, já que através de uma gravidez de forma natural, não existe uma ciência que garanta se o feto será menino ou menina até se fazer o ultrassom ou um exame de sangue específico.

Na reprodução assistida dá para definir o sexo do bebê, porém o método só é liberado na tentativa de evitar doenças genéticas ligadas ao sexo, como a hemofilia.

A técnica se chama sexagem e é feita em laboratório, no terceiro dia após a fertilização in vitro. Assim são transferidos só os embriões do sexo livre da doença.

Porém, mesmo com todo esse avanço da ciência o foco da reprodução assistida sempre deve ser proporcionar a casais com problema de infertilidade a geração de uma criança, seja ela uma menina ou um menino. Por isso, vale a pena esperar por três meses para saber de qual sexo será o próximo membro da família.

Agende uma conversa