Icone informações
Quero agendar
uma consulta
Icone informações
Quero mais
informações
Sobre o que você deseja saber?
Preencha os dados abaixo, selecione o assunto de interesse e receba informações exclusivas!

Período Fértil Para Engravidar: tudo o que você precisa saber

Período Fértil Para Engravidar: tudo o que você precisa saber

Postado em: 18 de julho de 2018

Em um casal que deseja ter filhos, a vida fértil da mulher merece especial atenção se comparada à do homem . Isso porque, eles são férteis durante quase toda a vida, embora não com  a mesma qualidade. Já as mulheres, na puberdade, têm em média 400 mil oócitos, mas apenas uma parte deles será liberada […]

Em um casal que deseja ter filhos, a vida fértil da mulher merece especial atenção se comparada à do homem . Isso porque, eles são férteis durante quase toda a vida, embora não com  a mesma qualidade. Já as mulheres, na puberdade, têm em média 400 mil oócitos, mas apenas uma parte deles será liberada para a fecundação ao longo da vida

Uma mulher inicia sua vida fértil na puberdade, ou seja, por volta dos 13 ou 14 anos. A partir desta idade, ela passa a liberar ao menos um óvulo por mês. O óvulo é a célula reprodutora feminina, por isso, caso um espermatozóide se una a ele, já é possível originar à gravidez.

Contudo, é considerado como período fértil da mulher apenas o momento do mês em que o óvulo está disponível para fecundação. Nos demais dias, a mulher encontra-se em seu ciclo menstrual, em que o corpo é preparado continuamente para receber um bebê.

Conhecer seu período fértil é algo que facilita bastante a concepção. Afinal, ao saber o momento de disponibilidade do óvulo, o casal pode programar as relações sexuais, o que chamamos de coito programado, de modo que os gametas se encontrem e se unam.

Período fértil: ovulação

 

Todo o processo de entendimento do período fértil se inicia pelo conhecimento de seu ciclo menstrual. Entende-se por ciclo menstrual o processo contínuo em que o corpo se prepara para receber um embrião, libera o óvulo e, caso este não seja fecundado, origina-se a menstruação.

O ciclo menstrual de uma mulher é regido por seus hormônios. Há primeiro o FSH  e LH, produzidos na hipófise, e os mais conhecidos, estrogênio e progesterona, produzidos pelos ovários. São estas as substâncias responsáveis por promover a ovulação, ou seja, a liberação do óvulo, e  também por preparar o útero para a gravidez.

Passo a passo do ciclo menstrual

A mulher que  possui um ciclo regular, tem um ciclo de a 28 ou 30 dias. Isso significa que:  entre o início de um período e outro, há um intervalo mais ou menos de 28 a 30 dias. Nestes casos, seu período fértil ocorre no 14º  ao 16º dia do ciclo, contado a partir do primeiro dia da última menstruação.

Aliás, o período fértil de uma mulher sempre ocorre 14 dias antes da data da sua ultima menstruação, independentemente do tempo de intervalo entre um ciclo e outro, a fase pós ovulatória é sempre fixa em 14 dias e o que varia é a fase pré-ovulatória.

Para que o ciclo  se inicie, o cérebro produz o hormônio FSH. A substância é a responsável por promover o amadurecimento dos óvulos. Em seguida, os ovários produzem o estrogênio, que estimula o útero a tornar sua parede interna mais espessa. Essa parede é chamada de endométrio, e será ela a responsável por fixar o embrião caso ocorra a fecundação do óvulo.

Cerca de 14 dias após o início do processo, o óvulo já atingiu o tamanho adequado de 18 mm. Dessa forma, o LH age para liberá-lo. Então, o gameta é direcionado para a trompa uterina onde fica aguardando a chegada dos espermatozoides. Em seguida, os ovários produzem a progesterona, hormônio que vai garantir que o útero permaneça rico em nutrientes e sangue.

Período fértil feminino

Assim que liberado, o óvulo tem, de 24 a 72 horas de vida (apesar de ser mais comum que ele permaneça disponível por apenas 24 horas). São essas horas que caracterizam o período fértil da mulher, e num ciclo regular ocorre no 14º ou 16º após a última menstruação.

Contudo, é importante destacar que os espermatozoides possuem tempo de vida maior. Esta é uma questão muitíssimo importante quando estamos tentando engravidar. O espermatozoide sobrevive, em média, cerca de 72 horas (ou seja, cerca de 3 dias) dentro do corpo da mulher. Mas existem estudos científicos mostrando que alguns espermatozoides podem sobreviver até 7 dias, apesar de ser raro.

Assim, a fecundação do óvulo se torna mais possível caso as relações sexuais ocorram nos três dias anteriores, três dias seguintes, e no dia previsto para a ovulação. Afinal, o dia é sempre previsto, mas pode se adiantar ou atrasar. Com espermatozoides disponíveis para a fecundação, eles poderão chegar ao óvulo assim que ele for liberado pelo ovário. Logo, o período fértil da mulher compreende, em média, 7 dias, incluindo o dia da ovulação e os 3 anteriores e posteriores a ela.

Se o óvulo não for fecundado, os níveis hormonais do corpo caem. O útero então passa a se descamar e a liberar o endométrio antes preparado para receber o embrião. É nisto que consiste a menstruação, que também elimina o óvulo não fertilizado. A partir do primeiro dia de menstruação, todo o processo se reinicia.

Dúvidas sobre a ovulação

Sabendo de todas as informações citadas anteriormente, é possível que dois questionamentos bastante comuns tenham surgido em sua mente. Primeiro: “será que é possível ovular mais que uma vez a cada ciclo?”. Depois, “a ovulação ocorre com certeza em todos os meses?”.

A resposta para o primeiro questionamento é que sim, é possível ovular mais de uma vez por ciclo. Isso, no entanto, normalmente não cria dois períodos férteis diferentes, mas sim dois óvulos para fecundação. Ou seja, dois óvulos são liberados ao mesmo tempo e ficam disponíveis nas trompas uterinas. É deste modo que são gerados gêmeos não idênticos, se ambos os gametas forem fertilizados.

Esse tipo de ocorrência é mais comum em mulheres a partir dos 35 anos. Isso porque, a partir dessa idade, o ciclo menstrual começa a se tornar mais irregular, assim como os níveis hormonais. Ou seja, os hormônios podem provocar a liberação de mais de um gameta. Leia também: É possível engravidar após os 35 anos?

Sobre o segundo questionamento, há várias situações que podem impedir que a mulher ovule todos os meses. Muitas das mulheres que não ovulam podem, por exemplo, estar sofrendo da Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP). A condição pode fazer com que a mulher não libere o óvulo, pois os ovários ficam “obstruídos” pelos cistos.

Além disso, uma mulher pode não ovular caso possua a chamada hiperprolactinemia, que consiste na produção exagerada de prolactina no organismo. O hipotireoidismo e a perimenopausa, ou seja, o período pré-menopausa, também podem levar à não ovulação assim como uma série de outros fatores, que precisam ser diagnosticados e tratados pelo médico.

Período fértil irregular

Como citado anteriormente, o período fértil regular de uma mulher ocorre de 28 a 30 dias. No entanto, existem muitas pacientes que convivem com ciclos mais curtos, ou então bem mais longos. É comum, por exemplo, um ciclo de 21 dias, assim como os de 35 dias. Adolescentes e mulheres na pré-menopausa podem ter ciclos de até 45 dias, pois os níveis hormonais no corpo de cada uma estão bastante irregulares.

Considerando essas informações, já foi possível perceber que é mais difícil calcular o período fértil da mulher com ciclo irregular. Afinal, o tempo entre uma ovulação e outra pode mudar sem aviso prévio. No entanto, é sempre viável realizar uma estimativa.

Para isso, deve-se considerar os intervalos entre os três ciclos anteriores. Imagine que sua menstruação irregular aconteceu em intervalos de 37 dias, 36 dias e 35 dias nos meses anteriores.  Esses intervalos resultam numa média de 35 dias.O dia da ovulação geralmente corresponde ao tempo do ciclo subtraído por 14 dias. Neste exemplo, teremos o cálculo de 35 – 14. Logo, o 21º dia após a última menstruação será o dia fértil do mês seguinte.

Lembre-se porém, de que esta é apenas uma estimativa. Se você possui ciclo irregular e deseja engravidar, é interessante que mantenha uma prática sexual bastante regular, de aproximadamente 3 em 3 dias. Isso vai aumentar as chances de que, quando o óvulo for liberado, haverá espermatozoides disponíveis em seu organismo. Estes espermatozoides, então poderão nadar até o óvulo e fecundá-lo.

Período fértil: calculadora

Uma mulher com ciclo de 28 dias terá seu período fértil no 14º de seu ciclo. Um ciclo começa a ser contado a partir do primeiro dia de menstruação. Para garantir a marcação correta, utilize da chamada tabelinha.

Apesar de ser um método contraceptivo pouco confiável, a tabelinha permite verificar bastante bem a fertilidade. Afinal, mesmo que o cálculo seja apenas uma estimativa, será melhor utilizado se o objetivo for engravidar.

No caso do uso da tabelinha para a contracepção, porém, a mínima alteração hormonal pode alterar o ciclo fértil e então permitir a gravidez em um dia não previsto anteriormente. Por isso, quem não deseja engravidar deve utilizar método contraceptivo mais confiável, como o preservativo, pílula  anticoncepcional ou DIU.

É ainda importante destacar que o período fértil da mulher consiste no 14º do ciclo e nos três dias anteriores e posteriores a essa previsão.

Período fértil: sintomas

Mais do que por meio da estimativa do ciclo, a mulher pode perceber seu ciclo fértil tendo atenção a alguns sintomas que seu corpo apresenta neste período do mês.

Entre os sintomas mais percebidos está o aumento da secreção vaginal e da libido. A mulher se sente mais atraída sexualmente, e também tende a atrair mais. É igualmente comum que haja o aumento de acnes e espinhas, especialmente no rosto. Isso ocorre porque a pele se torna mais oleosa no período fértil.

Há também o aumento da temperatura corporal, que acontece quando os ovários estão prestes a liberar os óvulos. Essa liberação aumenta o nível de progesterona no organismo, hormônio que sobe a temperatura do corpo em cerca de 0,3 a 0,8ºC.

Outro aumento comum é do apetite, que faz a mulher comer mais, especialmente doces. Assim como da irritação e instabilidade emocionais, culpadas pelas mudanças repentinas de humor e pelo choro mais fácil.

Finalmente, a mulher pode sentir dor no baixo ventre que são semelhante a cólicas. Este incômodo vem em ondas, aparecendo e desaparecendo rapidamente.

Período fértil: muco

Há  um  outro sintoma bastante característico do período fértil: a mudança da cor e textura do muco vaginal. As secreções vaginais mudam ao longo do mês, e cada uma delas indica uma atuação hormonal diferente no organismo feminino. Em um único ciclo ocorrem mudanças hormonais constantes.

O que caracteriza o muco vaginal no período fértil é sua aparência transparente, viscosa e elástica. Ela também costuma ser bastante abundante e mais aquosa que em outros momentos do mês. Essas características são promovidas pelo hormônio estradiol, que intensifica a produção do muco semelhante à clara de ovo. O líquido mais fluído ajuda os espermatozoides a entrarem no corpo feminino e a se movimentarem até o óvulo.

Período fértil: anticoncepcional

 

Quando a mulher utiliza pílulas anticoncepcionais precisa ter o cuidado de consumir o medicamento todos os dias, sempre no mesmo horário. No mercado, existem os anticoncepcionais de 21, 24 ,28 e 30 dias.  Se a mulher desejar mentruar, deve interromper o uso da pilula por 4 a 7 dias. 

Um medicamento anticoncepcional age de modo a impedir a ovulação. Sem ter o óvulo liberado, a mulher não tem período fértil, nem a chance de engravidar. Por isso, se o objetivo é a concepção, é fundamental suspender o consumo do remédio, mas lembre-se: sempre com o acompanhamento médico.

Como citado anteriormente, apesar de não ovular, a mulher que utiliza pílulas pode ou não menstruar. Neste caso, contudo, a menstruação não consiste na liberação do endométrio e do óvulo não fecundado. Ela é considerada “falsa”, pois é, na verdade, o resultado da privação de hormônios criada durante o intervalo entre uma cartela e outra de remédios.

De qualquer modo, a mulher também percebe sintomas pré-menstruais. Eles incluem, por exemplo, a mudança rápida de humor, irritabilidade, inchaço corporal e mamas doloridas. Os sintomas, porém, são mais brandos do que na mulher com período fértil ativo.

Período fértil para engravidar

Apesar do período fértil ser o 14º antes do próximo ciclo, os óvulos podem ser liberados pouco antes ou pouco depois do previsto. Por isso, considera-se como período fértil para engravidar o intervalo entre o 11º e 17º dia do ciclo menstrual, ou seja, 3 dias antes e 3 dias depois da data prevista para liberação do gameta feminino. Dessa forma, o casal que deseja engravidar deve intensificar a prática de relações sexuais neste período.

Período fértil: é possível engravidar fora dele?

Existem três situações em que a mulher pode engravidar fora do momento dado como ideal. Nas três, contudo, há a existência de um período fértil, mas não o anteriormente previsto (por meio da calculadora). Ou seja, caso alguém diga que engravidou fora do período fértil, o que essa pessoa está querendo dizer é que engravidou fora do período fértil que tinha calculado para aquele mês.

A primeira situação possível ocorre quando há a ovulação no pico de adrenalina. Essa ovulação acontece quando a mulher libera mais de um óvulo por ciclo, em momentos bastante distintos. A liberação é estimulada por picos de adrenalina no corpo, que podem ser gerados inclusive pelo ato sexual.

Já na chamada ovulação precoce, a mulher libera um óvulo cerca de 8 ou 10 dias depois após o início do ciclo menstrual. Isso deixa o óvulo disponível para a fecundação pelo menos 4 dias antes do previsto na tabelinha. Uma ovulação precoce pode ocorrer por fatores como o álcool, fumo, existência de doença crônica, estresse, alimentação ou mudança no estilo de vida.

Neste caso, a mulher pode engravidar até mesmo se estiver apresentando pequenos sangramentos. Com ciclo ovulatório tão curto que ela pode ainda estar liberando a menstruação quando seu óvulo for disponibilizado. Assim, caso ocorra o coito, os espermatozóides poderão encontrar o gameta. Entretanto, essa ocorrência é rara, porque o sangue da menstruação cria um ambiente pouco agradável aos gametas masculinos.

Finalmente, a fecundação pode ocorrer porque os espermatozoides sobrevivem por dias no corpo feminino. Assim, mesmo que a mulher faça sexo 5 dias antes do seu período fértil, quando o óvulo for liberado ele poderá ser fecundado pelos gametas ainda existentes em seu organismo. Neste caso, a concepção não ocorrerá fora do período fértil comum, mas apenas porque haviam gametas masculinos ainda vivos e preparados para a fertilização.

Período fértil: sintomas de gravidez

 

Sinais iniciais

Os primeiros sinais da gravidez são bastante sutis e poucas vezes percebidos pela mulher. Afinal, muitas vezes eles podem ser confundidos com sinais da TPM (Tensão Pré-Menstrual), como é o caso da sensibilidade das mamas.

De qualquer modo, é interessante conhecer estes sintomas. O primeiro deles é uma secreção vaginal levemente rosada. Esse muco possui a mesma consistência do muco do período fértil e sua alteração de cor ocorre porque quando o espermatozoide fecunda o óvulo, ambos liberam vestígios de sangue. É este vestígio que “colore” o corrimento.

Outro sintoma comum da fecundação do óvulo é o inchaço da região pélvica, e também a cólica abdominal. Ambas ocorrem assim que a gravidez se inicia já que aumenta o fluxo de sangue no abdômen. A sensação de inchaço também é provocada pelas alterações hormonais que o organismo sofre.

Sintomas de 2 a 12 semanas de gestação

Mulheres grávidas ainda percebem suas mamas inchadas e sensíveis. Esse sinal, contudo, é mais facilmente percebido após cerca de duas semanas de gestação. Ele ocorre porque o sistema hormonal do corpo começa a estimular a produção de leite que vai alimentar o bebê após seu nascimento. Como, ao mesmo tempo, ocorre aumento do fluxo sanguíneo nos mamilos e eles tendem a se tornam mais escuros.

Também nas primeiras duas semanas pós-fertilização, a gestante pode apresentar intensas variações de humor. Assim como o surgimento de mais acnes e espinhas, uma vez que ocorre intensa mudança hormonal no organismo.

Também é possível perceber o corpo mais cansado, certa aversão a cheiros fortes, enjoo, vômitos, salivação e tontura. Estes sinais são mais frequentes e conhecidos, e geralmente são os que ligam a luz de alerta da mulher para a gravidez. Além, é claro, do atraso na menstruação.

Conforme a gravidez avançar, a grávida ainda deve apresentar aumento na vontade de urinar. O sinal ocorre porque o crescimento do útero diminui o espaço disponível para a bexiga, que se torna pressionada e precisa ser constantemente esvaziada. Além disso, os hormônios da gestação tornam os músculos da bexiga mais frouxos, fazendo com que a mulher tenha dificuldade em esvaziar o órgão de uma só vez e são necessárias várias visitas ao banheiro para fazê-lo.

Teste de gravidez

Para confirmar a gravidez, é possível utilizar os clássicos testes de farmácia. É indicado realizá-lo após alguns dias de atraso da menstruação – por isso, é interessante que você faça o controle adequado do seu ciclo.

Caso o teste dê negativo, mas a menstruação continue atrasada, realize um novo exame. Na manutenção do resultado e do atraso do ciclo, faça o exame sanguíneo em laboratório. O teste oferece maior fidedignidade de resultado e pode refutar ou confirmar de vez a gestação.

Período fértil: indução da ovulação

Como citado ao longo deste texto, algumas mulheres apresentam dificuldades para ovular, e aí não contam com período fértil, ou o possuem de forma bastante irregular. Para quem está buscando engravidar, essas situações podem complicar bastante a concepção. Neste caso, um tratamento indicado pode ser o da indução da ovulação.

Fazer a indução da ovulação significa estimular o organismo a liberar o óvulo adequadamente. Para isso, a mulher faz o uso de alguns hormônios, como os que existem naturalmente no corpo. Aplicados por cerca de 15 dias, os hormônios estimulam os ovários a amadurecer e a liberar o gameta feminino.

Apesar do que muitas mulheres acreditam, é fundamental que este processo seja coordenado por um médico. A injeção de hormônios no corpo pode ser prejudicial caso realizada de modo incorreto e desmedido.

Dessa forma, caso você apresente irregularidade nos ciclos, pode procurar um médico e solicitar auxílio. O mesmo para o caso de você e seu parceiro estarem tentando a concepção natural nos últimos 12 meses, sem sucesso. O período de um ano é o tempo médio que um casal leva para a concepção. Afinal, só há 20% de chance de fecundação por mês. A demora por tempo maior pode indicar dificuldades para ovulação ou mesmo outros fatores que causam a infertilidade tanto na mulher, quanto no homem.

Após a indução da ovulação, o casal pode realizar o chamado coito programado. Ou seja, realizar a prática sexual no dia da ovulação, que é induzida por meio de um segundo hormônio. O sexo praticado três dias antes e três dias depois dessa liberação do óvulo também aumenta as chances de concepção.

Período fértil: técnicas de reprodução assistida

Além do coito programado, após a indução da ovulação é possível utilizar de alguma técnica de reprodução assistida. Como a fertilização in vitro ou a inseminação artificial. Ambas as opções são indicadas para casos específicos.

A fertilização in vitro, por exemplo, pode ser a solução para vários casos de infertilidade ,como por exemplo a obstrução da trompas , que é o caso dos espermatozoides não conseguirem adentrar o corpo feminino devido ao pH ácido da vagina da mulher. Ela é realizada por meio da coleta do óvulo e dos espermatozoides, que são unidos em laboratório. Essa união gera um embrião, que após cerca de cinco dias será transferido para o útero feminino. O embrião, então, precisa se “agarrar” à parede interna do órgão (endométrio). Caso consiga fazê-lo, dá-se início à gravidez.

Já a inseminação artificial, é indicada para situações especiais como de pouca mobilidade do espermatozoide. Isso porque na inseminação apenas os espermatozoides são colhidos. Depois de analisados em laboratório, eles são escolhidos e inseridos no fundo do útero da mulher. De lá, o caminho até a trompa é menor, e assim os gametas têm mais chances de alcançar o óvulo.

Tem encontrado dificuldades para engravidar? Entre em contato com a Clínica GERA e marque uma conversa. Nossos especialistas poderão ajudar em seu período fértil ou indicar outras soluções para sua gestação.