Icone informações
Quero agendar
uma consulta
Icone informações
Quero mais
informações
Sobre o que você deseja saber?
Preencha os dados abaixo, selecione o assunto de interesse e receba informações exclusivas!

Principais dúvidas da fertilização in vitro

Principais dúvidas da fertilização in vitro

Postado em: 26 de setembro de 2017

Confira abaixo as dúvidas mais frequentes no consultório sobre a FIV (Fertilização In Vitro).

Confira algumas das dúvidas mais frequentes da fertilização in vitro:

1) Tenho mais de 40 anos, não posso mais realizar a fertilização in vitro?

Pode. O ideal é realizar o procedimento até 43 anos, já que a taxa de gravidez diminui com o passar dos anos. Com 45 anos, não se recomenda fazer FIV com os próprios óvulos pela chance quase inexistente de gravidez.

 

2) Tem alguma preparação para realizar a FIV?

Sim. Existe um tratamento prévio com medicações específicas e indicadas por um especialista antes da coleta dos óvulos para aumentar o número dos mesmos durante o ciclo. Paralelamente, um acompanhamento com ultrassonografias, exames de sangue e outros, ocorrem antes desta coleta para a realização da FIV.

 

3) A FIV tem algum efeito colateral?

Dificilmente. Dores de cabeça, desconforto abdominal, mudanças de apetite não são normais, mas podem ocorrer. Há mulheres que identificam um pouco de inchaço abdominal, mas isso ocorre por conta da estimulação ovariana.

 

4) Mas e a síndrome da hiperestimulação, é comum acontecer?

Durante todo o processo de estimulação ovariana é possível haver a síndrome da hiperestimulação do ovário, pois as mulheres podem produzir excesso de hormônios e isso pode causar inchaço e dor. Caso não haja gravidez, essa síndrome se cura sozinha e em casos raros há a agravação do caso, havendo intervenção clínica para recuperação da paciente.

 

5) Inseminação artificial e FIV é a mesma coisa?

Não. Na FIV ocorre a colocação de espermatozoides em contato com óvulos em laboratório e quando fecundados, os embriões são alocados no útero previamente preparado. Na inseminação artificial, por meio de um cateter, é realizada uma “injeção de espermatozoides” diretamente no útero.