Icone informações
Quero agendar
uma consulta
Icone informações
Quero mais
informações
Sobre o que você deseja saber?
Preencha os dados abaixo, selecione o assunto de interesse e receba informações exclusivas!

Tamanho mioma considerado grande – O que significa?

Tamanho mioma considerado grande – O que significa?

Postado em: 11 de fevereiro de 2020

Miomas, também chamados de fibromas ou leiomiomas, são tumores sólidos benignos formados por tecidos musculares e fibrosos, que geralmente se desenvolvem no útero. Dependendo da região onde se encontram, podem ser classificados de forma diferente e também variar bastante de tamanho, sendo que o tamanho do mioma considerado grande pode até provocar o aumento do […]

Miomas, também chamados de fibromas ou leiomiomas, são tumores sólidos benignos formados por tecidos musculares e fibrosos, que geralmente se desenvolvem no útero. Dependendo da região onde se encontram, podem ser classificados de forma diferente e também variar bastante de tamanho, sendo que o tamanho do mioma considerado grande pode até provocar o aumento do abdômen.

Alguns de seus sintomas podem ser confundidos algumas vezes com alguns tipos de câncer como o câncer de ovário, por isso costumam causar pânico entre a maioria das mulheres. Para que não hajam dúvidas, os exames ginecológicos preventivos são super importantes para um diagnóstico preciso e o seu tratamento adequado, caso necessário.

Se você está com dúvidas quanto ao mioma, saiba abaixo o que é, suas causas, como reconhecer os principais sintomas e quais os tratamentos disponíveis e mais indicados. Confira!

O que é um mioma?

esquema de tamanho mioma considerado grande

O mioma, também é conhecido por fibroma ou leiomioma, um tipo de tumor sólido

O mioma, também conhecido por fibroma ou leiomioma, é uma neoplasia ou um tipo de tumor sólido, de natureza benigna, formado por tecido muscular e fibroso muito semelhante ao próprio tecido do útero.

De acordo com a região do útero em que se encontra, o mioma pode ser classificado em  tipos diferentes: subseroso são os miomas que crescem para fora do útero, os intramurais são os crescem dentro da musculatura do útero e os submucosos aqueles que crescem para dentro da cavidade uterina e os que mais provocam sintomas.  

É o resultado da proliferação do músculo uterino chamado miométrio. Em geral, constituem em um distúrbio hormonal que causa um enovelamento das fibras musculares, formando nódulos nessa região. Sua coloração é esbranquiçada e sua consistência é firme, sendo que a sua maioria é múltipla. Ou seja, é comum a pessoa apresentar mais de um mioma.

Miomas podem ter tamanhos bastante variados bastante, sendo que alguns podem até provocar o aumento do abdômen, principalmente os de tamanho considerado grande. Normalmente, eles crescem por ação hormonal em especial  com a liberação do hormônio estrógeno durante o período fértil, podendo ter poucos milímetros ou ser maior do que um melão.

Os miomas são muito comuns e podem acometer cerca de 30 a 40% das mulheres em idade fértil, as mulheres de raça negra tem uma maior tendência a apresentar miomas e a idade mais comum do seu aparecimento é na faixa dos 35-40 anos de idade, embora possa acometer também as mais jovens. Outros fatores que podem aumentar a propensão ao seu desenvolvimento são a obesidade e a nuliparidade (não ter filhos).

Principais causas de miomas

Não há como apontar uma única causa para o aparecimento de miomas, mas sabe-se que eles estão associados principalmente a uma predisposição genética onde as células do miométrio se tornam mais sensíveis a ação dos estrógenos formando nodulações no útero, embora uma parcela seja sensível à ação da progesterona.

Por isso, a  sua maior incidência ocorre no auge da fase reprodutiva até a chegada da menopausa, diminuindo após essa fase. Por conta disso, os miomas são mais frequentes em mulheres com cerca de 40 anos. Além disso, as mulheres negras e acima do peso ideal também são mais vulneráveis ao seu desenvolvimento. 

Principais sintomas de miomas

Os principais sintomas de miomas é o aumento do volume do abdômen

Os principais sintomas de miomas é o aumento do volume do abdômen

Normalmente, os miomas são assintomáticos, sendo que a maioria das mulheres não apresenta sintomas da doença. No entanto, dependendo do tamanho do mioma e da quantidade, além da localização em que se localizam, é possível apresentar os seguintes sintomas:

  • Aumento abundante do fluxo menstrual e por mais tempo;
  • Aumento do volume do abdômen;
  • Sangramento uterino anormal, ou seja, fora do período menstrual;
  • Prisão de ventre e cólicas;
  • Dor no abdômen ou lombar;
  • Anemia por conta da perda de sangue excessiva;
  • Dificuldade para engravidar ou infertilidade;
  • Abortos ou parto prematuro;
  • Hemorragia pós-parto;
  • Compressão sobre a bexiga e intestino, provocando vontade urgente e frequente de urinar e desconforto gastrointestinal.

Atenção: Embora alguns anticoncepcionais possam, em teoria,  aumentar o crescimento do mioma, muitos são indicados à mulheres que costumam ter muito sangramento por conta do mioma, mas não quer fazer cirurgia. A pílula, por exemplo, age bloqueando a menstruação, sendo que o DIU de progesterona também é indicado nestes casos. Por isso, é importante consultar o ginecologista antes de começar a tomar qualquer anticoncepcional. 

Como é feito o diagnóstico de miomas

Como se trata de uma doença assintomática, na maioria das vezes, o seu diagnóstico se apresenta em cerca de 80% das mulheres durante os exames de rotina, tais como ultrassom pélvico e exame ginecológico.

Sendo assim, o diagnóstico é feito através do levantamento do histórico médico da paciente e pelo toque vaginal durante o exame ginecológico. Por isso, exames de imagem, como ultrassom e ressonância magnética, também podem ser importantes para o diagnóstico preciso.

Tipos de tratamentos e cuidados

Existem diferentes tipos de miomas.

Existem diferentes tipos de miomas.

Como dissemos, o mioma é um tumor benigno muito mais frequente nas mulheres, que costuma aparecer no útero. Mas ele pode aparecer em diferentes locais e ter vários tamanhos diferentes. No útero, ele pode aparecer dentro da cavidade do uterina, na parede do útero ou fora do útero. 

O tratamento vai depender muito do desejo reprodutivo de cada mulher, do local onde eles se encontram, visto que se apresentam em maior quantidade. Além disso, o tamanho também conta e a presença ou não de sintomas. 

Por exemplo, na ausência de sintomas, o tratamento imediato não é necessário, mas o acompanhamento ginecológico regular é importante. Sendo assim, nem todos os miomas devem ser retirados, afinal nem todos apresentam sintomas.

Porém, independentemente de apresentar sintomas ou não, eles devem ser tratados, podendo ser o tratamento medicamentoso ou cirúrgico, sempre realizado de acordo com o histórico da paciente e da quantidade e tamanho dos nódulos.

Tratamento medicamentoso

No caso de mulheres que ainda desejam engravidar e que por algum motivo não desejam retirar o útero podem optar pelo tratamento medicamentoso mas existe a possibilidade de aparecerem novos miomas futuramente, sendo necessário sempre um acompanhamento rigoroso com exames periódicos.  

Existem diversos medicamentos que podem ser tanto de uso oral como injetáveis, como anti-inflamatórios não hormonais, progestágenos, drogas inibidores hormonais, entre outros. Mas para evitar novos surgimentos, pode-se usar medicamentos que bloqueiam a produção de hormônios.

No entanto, as mulheres que ainda desejam engravidar precisam tomar um cuidado especial. Isso porque os miomas podem prejudicar a fertilidade, e até levar a abortos. No caso de uma gravidez, os miomas não podem ser retirados durante a gestação, mas podem induzir ao parto prematuro devido a um aumento volumétrico. Já a remoção deve ser realizada após o parto.

Mulheres mais velhas que se aproximam da menopausa podem optar também por diminuir ou retirar o mioma. Neste caso, o tratamento medicamentoso pode ser usado para bloquear a produção de estrógeno, já que a supressão da produção do hormônio ajuda a diminuir o tamanho dos miomas e facilita a remoção cirúrgica, caso seja necessário. 

Contudo, antes de iniciar o tratamento com a devida medicação, é possível que apenas o acompanhamento seja suficiente, pois a diminuição natural dos níveis hormonais durante a menopausa pode levar à diminuição espontânea do mioma.

Miomectomia

A miomectomia é o nome que se dá ao procedimento cirúrgico de retirada do mioma por via histeroscópica, por cirurgia abdominal ou por laparoscopia. Porém, é o tipo de tratamento apenas indicado quando o mioma provoca sintomas como dor e sangramentos persistentes. Ou quando está associado à infertilidade ou a abortos de repetição 

Quando a cirurgia é feita por histeroscopia ou laparoscópica, a recuperação costuma ser rápida. No entanto, há casos em que é preciso fazer uma cirurgia com incisão maior no abdômen, dependendo da localização, quantidade e tamanho dos miomas. Nesse caso, serão necessários uma maior quantidade de dias até ter alta.

Histerectomia 

No caso de uma mulher apresentar sintomas e não querer mais engravidar, a histerectomia (retirada do útero) pode ser indicada. Normalmente, essa opção é indicada à mulheres com mais de 35 anos de idade, que tenham um ou mais filhos. Essa retirada do útero é feita por meio da videolaparoscopia, cirurgia abdominal aberta ou via vaginal

Embolização

No caso da mulher não querer realizar uma cirurgia, uns dos tratamentos alternativos a cirurgia é a embolização das artérias uterinas, uma técnica moderna de tratamento que costuma apresentar bons resultados porém não deve ser utilizada para mulheres que desejam ter filhos. 

Essa técnica consiste na obstrução das artérias do útero com partículas sólidas, reduzindo o fluxo sanguíneo que nutre os miomas. Com isso, eles acabam diminuindo o volume uterino e a quantidade dos nódulos, levando ao seu encolhimento e à sua morte.

Por meio da artéria femoral, partículas impactantes são introduzidas na circulação para interromper esse fluxo de sangue. Com a ajuda de cateteres, os médicos acessam o útero e injetam partículas de gelatina acrílica, que impedem a passagem de sangue nos vasos dentro do mioma.

Esse procedimento costuma durar no máximo 1h30 e tem a vantagem de uma recuperação rápida, em até dois dias, podendo a pessoa voltar para as atividades normais após esse período.

Mioma X Câncer no ovário

Um dos sintomas do mioma quando ele tem um crescimento exagerado é o inchaço no abdômen, um sintoma também muito comum do câncer no ovário. Entretanto, o mioma não têm relação com o câncer no ovário, além de serem completamente diferentes. 

O câncer de ovário, por exemplo, não tem sintomas na fase inicial, aparecendo apenas quando a doença está em estágio avançado, da seguinte forma:

  • Alteração nos hábitos intestinais, como prisão de ventre;
  • Urinar com mais frequência;
  • Dor e inchaço abdominal;
  • Náusea e vômito;
  • Sangramento;
  • Ganho de peso;
  • Falta de ar;
  • Dor óssea;
  • Pele amarelada.

O câncer no útero é o tipo de câncer ginecológico mais letal, embora seja menos frequente que o câncer de colo de útero e de mama. Em casos como esse, o histórico da mulher é super importante, sendo que os tratamentos mais indicados costumam ser a cirurgia e a quimioterapia.

Os principais fatores de risco para um câncer de útero é o sobrepeso, diabetes, sedentarismo, exposição prolongada ao estrogênio, dieta rica em carboidrato e gordura, histórico familiar.

Recomendações importantes

Embora os miomas sejam benignos e na maioria das vezes são assintomáticos é preciso seguir algumas recomendações. Como por exemplo:

  • Consulte seu ginecologista regularmente sempre fazendo suas consultas de rotina, para que os miomas possam ser diagnosticados precocemente;
  • Sempre pratique exercícios físicos, a fim de diminuir os níveis de estrógeno no organismo e, conseqüentemente, o desenvolvimento de miomas;
  • Procure levar uma vida saudável, evitando fumar, beber com moderação e controlando o peso, mantendo-o ideal.

Perguntas frequêntes:

Embora tudo já tenha sido explicado acima, é possível que muitas pessoas ainda tenham dúvidas quanto aos miomas. As perguntas mais frequentes neste caso são as seguintes abaixo:

Mioma é câncer?

Os miomas são tumores benignos, isto é, possuem células semelhantes às do tecido normal, sem a capacidade de provocar metástases (invadir outros órgãos e tecidos). 

Apenas cerca de 1% deles pode evoluir para formas cancerígenas.

Miomas são perigosos na gravidez?

Dependendo do tamanho e localização, miomas podem provocar alguns problemas durante a gravidez, mesmo que não provoquem sintomas antes da gestação. Normalmente, os problemas podem incluir um parto prematuro, hemorragia pós-parto e abortos espontâneos.

Miomas podem provocar infertilidade?

Um mioma pode obstruir as tubas uterinas ou provocar deformações que podem dificultar ou até impossibilitar a adesão do óvulo fecundado à parede do útero.

Em caso de mioma assintomático, tem problema removê-los?

Geralmente, miomas só exigem intervenção quando há sintomas muito incômodos, como aumento do fluxo menstrual e cólicas constantes. No caso de não apresentarem sintomas, a cirurgia é sempre desconsiderada, pois por mais simples que seja, sempre há riscos. 

Isso porque os miomas assintomáticos, que não interferem na fertilidade ou gravidez, não prejudicam a saúde. Portanto, o ideal é somente acompanhar o seu desenvolvimento com visitas regulares ao ginecologista.