Tentando Engravidar? Saiba o que fazer e evitar

Se você está tentando engravidar, é importante que conheça o processo de fecundação e desenvolvimento do embrião. A formação do embrião é dada quando há a união entre o óvulo e  espermatozoide, gametas feminino e masculino, respectivamente.
A mulher já nasce com seus óvulos praticamente prontos. E então, quando ela atinge a puberdade, esses óvulos terminam o processo de amadurecimento, um por mês, e liberados para a fecundação. O gameta é liberado por volta do 14º dia do ciclo menstrual, que é contado a partir da data do início da última menstruação. Esse no 14º dia, assim como aos três dias anteriores e posteriores, chamamos de período fértil.
Apenas no período fértil da mulher é possível que o casal atinja a concepção. Afinal, apenas neste período o óvulo estará disponível. Para encontrá-lo, o espermatozoide é introduzido no corpo feminino por meio da relação sexual. Com a ejaculação, o homem situa seus gametas no fundo de saco vaginal. De lá eles migram pelo útero da mulher até a tuba uterina, local de aguardo do gameta feminino. Assim se dá a fecundação do óvulo.
É comum que os casais demorem até 12 meses para obter a gestação. Exatamente por esse curto período fértil feminino, as chances são de apenas 20% por mês. Antes de iniciar as tentativas, é importante interromper o uso das pílulas anticoncepcionais. Além disso, é interessante informar seu desejo ao médico. O especialista pode orientar quanto a qualquer necessidade específica do seu corpo.
De qualquer forma, é importante seguir algumas dicas, assim como evitar alguns hábitos e situações. Acompanhe no texto tudo o que você precisa saber!

O que fazer para engravidar?

1. Conhecer seu período fértil

Como citado anteriormente, a mulher só consegue engravidar quando está em seu período fértil. Por isso, é sempre interessante conhecer o seu corpo, para que as relações sexuais possam ser intensificadas no tempo correto.

Um ciclo menstrual regular dura cerca de 28 dias. Contando a partir do primeiro dia da menstruação, a mulher pode obter uma previsão da sua ovulação, ou seja, da data da liberação do seu óvulo pelo ovário.
O dia de ovulação costuma corresponder ao 14º do período menstrual. Assim, considera-se como período fértil esta data, assim como os três dias anteriores e os três dias posteriores a ela. Isso porque, o cálculo é apenas uma previsão, e o óvulo pode ser adiantado ou atrasado.
Além disso, os espermatozoides masculinos podem sobreviver no corpo da mulher por até 72 horas. Intensificando a prática sexual por todos esses 7 dias férteis, o casal tem chance maior de fecundação. Especialmente porque, mesmo que seja liberado antes ou depois, o óvulo ainda poderá ser encontrado e fecundado por um gameta masculino.

2. Se alimentar bem

Alguns alimentos fazem muito bem ao corpo da mulher que deseja engravidar. Principalmente porque grande parte deles auxilia no sistema hormonal feminino, e o sistema hormonal é o responsável por todo o controle do processo de ovulação.
Este é o caso dos alimentos com vitamina E, vitaminas do complexo B e do zinco. Os nutrientes podem ser encontrados em itens como o trigo, ovos, grão-de-bico e óleo de girassol.
Outra substância importante para o corpo da futura gestante é o ácido fólico. Por isso, o consumo de comprimidos da substância costuma ser indicado pelo médico na pré-gravidez. O ácido fólico auxilia no desenvolvimento do bebê em todas as etapas de seu crescimento. Para seu consumo natural, invista em alimentos de cor verde-escura, como a couve.
Também é importante destacar que a ingestão de comidas industrializadas, frituras e fast food deve ser evitada. Apesar destas últimas serem mais prejudiciais ao organismo, seu consumo esporádico não causa grandes problemas à concepção.
Veja também: Vitaminas para Engravidar Saudável: Homem e Mulher

3. Fazer exercícios físicos

Sim, a prática regular de exercícios físicos é benéfica. Isso uma vez que o esporte auxilia na melhora da circulação sanguínea no corpo, algo fundamental para qualquer processo de fertilização. As atividades ainda diminuem o estresse e melhoram o controle dos hormônios, substâncias que regulam todo o processo de ovulação feminino.
Para os homens, o esporte pode ser benéfico em relação à produção dos espermatozoides. Os indivíduos que praticam atividades regulares possuem gametas de melhor qualidade.
O exercício diário por 30 minutos é suficiente para a manutenção da saúde. Caso prefira, você pode praticar uma hora por dia, 3 vezes por semana. Escolha um exercício que lhe faça bem durante a prática, e não um feito apenas por “obrigação”.

4. Diagnosticar e tratar doenças

Uma série de doenças, especialmente no sistema reprodutivo feminino, pode dificultar, ou mesmo impedir, a gravidez. É o caso da endometriose, dos ovários policísticos e infecções pélvicas. Caso já conviva com algum problema, o melhor é que a mulher procure tratamento antes da concepção.
Além de garantir maior chance de fecundação do óvulo, a terapia vai proporcionar uma gravidez mais saudável. Se você ainda não possui o diagnóstico, mas deseja engravidar, solicite ao seu médico uma espécie de check up do seu sistema reprodutivo.

Tentando engravidar: o que evitar

1. Bebidas alcoólicas

A primeira coisa a se evitar quando você está tentando engravidar é a bebida alcoólica. Isso porque, o álcool pode afetar vários aspectos do corpo, desde a produção hormonal ao desenvolvimento do bebê.

2. Medicamentos

Alguns medicamentos interferem no processo hormonal da mulher, ou mesmo em outras áreas do corpo. Anti-inflamatórios, por exemplo, podem dificultar a fixação do embrião no útero, impedindo seu desenvolvimento.
Por isso, caso você deseje engravidar, é importante que avise ao seu médico. Assim, ele poderá avaliar qualquer substância ingerida atualmente, e receitar sua interrupção ou mudança para um medicamento que não comprometa a gravidez.
Veja também: Metformina para Engravidar: Saiba mais sobre este uso aqui!

3. Estresse

O estresse é comum em momentos de pré-concepção. Tanto pelo dia a dia, quanto pela ansiedade em obter a gravidez. Contudo, ele afeta diretamente o sistema hormonal feminino, e pode dificultar a ovulação, além de comprometer a periodicidade dos ciclos.

4. Tabaco e outras drogas

O tabaco e qualquer outro tipo de droga pode causar vários malefícios ao corpo. Inclusive em relação à produção dos espermatozoides, liberação dos óvulos e mais. Por isso, você e seu parceiro devem ter atenção ao consumo dessas substâncias.

5. Químicos e produtos de limpeza

Produtos químicos, especialmente quando há grande exposição, podem ser tóxicos ao corpo da mulher. Nos homens, as substâncias podem provocar diminuição na contagem de espermatozoides, e a redução da qualidade dos gametas.
Leia também: Quero Engravidar Urgente: Dicas e Truques

Engravidar do segundo filho

Apesar do que popularmente se acredita, já ser mãe não significa que a concepção de outro filho será mais fácil. O que determina a gestação é o sistema hormonal da mulher naquele momento em específico, e ele pode ser afetado por uma série de fatores. Doenças, idade, estresse…. Por isso, aliás, a mulher pode nem mesmo conseguir engravidar naturalmente do segundo filho.
Assim, é importante cuidar da saúde da mesma forma, evitando alguns itens e tomando algumas atitudes especiais, como as citadas até aqui.
De qualquer maneira, é importante ter atenção ao intervalo entre uma gestação e outra. Especialistas indicam que o melhor é que esse período de resguardo seja de pelo menos seis meses. Do contrário, serão maiores as chances de parto prematuro e baixo peso do bebê.

Tentando engravidar há 6 meses

Como citado no início deste texto, um casal geralmente demora cerca de 12 meses para atingir a gestação naturalmente. Afinal de contas, há apenas 20% de chance mensal de concepção. Logo, se você está tentando engravidar há seis meses, ainda está no intervalo considerado comum pelos especialistas.
É a partir dos 12 meses de tentativas que uma maior atenção é necessária. Nessa situação, o prazo estipulado como normal foi ultrapassado, e pode indicar problemas. Assim, é importante que o casal procure um médico. O especialista poderá avaliar a existência de qualquer distúrbio de infertilidade.
Caso possível, o problema poderá ser tratado, e logo depois o casal deverá continuar suas tentativas naturais. Outra alternativa é a utilização de técnicas de reprodução assistida, que vão facilitar a concepção.

Entre essas técnicas, as mais comuns são a inseminação artificial e a fertilização in vitro. A fertilização cria um embrião em laboratório, e logo depois o transfere para o útero da mulher. O processo é indicado especialmente para casos de lesões nas tubas uterinas, ou de endometriose. Ambos os problemas podem impedir a chegada do espermatozoide ao óvulo de forma natural.

Tentando engravidar depois dos 35

Um fator muito relevante para a gestação é a idade da mulher. Isso porque, ao longo dos anos, a mulher tem sua fertilidade diminuída, até que chega à menopausa e não mais pode engravidar. Esse processo acontece principalmente a partir dos 35 anos.
Nesse período, os ciclos menstruais costumam se tornar mais irregulares, e a mulher pode liberar mais de um óvulo, ou  mesmo nenhum. É igualmente comum que o revestimento do endométrio, no interior do útero, se torne mais fino, dificultando a instalação de um embrião. A secreção vaginal ainda tende a ficar menos líquida, transformando o ambiente em um local hostil aos espermatozoides.
A partir dos 35 anos, então, a mulher tem maior chance de infertilidade. Por isso, é indicado que ela procure auxílio médico após apenas seis meses de tentativas naturais de concepção. Como o tempo disponível para a gestação é menor  – a menopausa normalmente acontece a partir dos 45 anos –, o processo de diagnóstico e tratamento da infertilidade deve ser feito mais cedo.
Se você está pensando em engravidar ou se já está tentando, procure um médico para maiores informações.

Open chat
💬 Precisando de ajuda?
Olá👋Como posso te ajudar?