Vitaminas para Engravidar Saudável: Homem e Mulher

Quando um casal deseja conceber, é interessante que tome uma série de cuidados. Como o de visitar um médico, verificar sua saúde e também utilizar vitaminas para engravidar. Quando investe em suplementos e em alimentos ricos em nutrientes, homem e mulher criam condições mais favoráveis à gestação.
Você com certeza já ouviu falar que toda mulher que deseja engravidar precisa utilizar o chamado ácido fólico. Afinal, o suplemento é fundamental para o desenvolvimento adequado do sistema nervoso do bebê. Não apenas este nutriente, porém, é interessante para o bem estar do embrião. Outros são fundamentais para o desenvolvimento saudável do pequeno novo ser, e fazem grande diferença na saúde da criança.
Ao mesmo tempo, há vitaminas e outros nutrientes que aumentam a fertilidade dos indivíduos. Por isso, é importante investir nas substâncias, e também deixar de lado alguns maus hábitos. Continue acompanhando o texto e descubra informações sobre os suplementos para homens e mulheres!
É importante destacar, de qualquer forma, que o uso dos nutrientes que citaremos pode sempre ser feito por meio da alimentação. Se desejar utilizar um suplemento alimentar, porém, é importante que o indivíduo busque auxílio médico primeiro. Isso mesmo que seja para um suplemento básico, como de vitamina C. Apenas o especialista pode indicar o tipo de suplemento e dosagem adequada a cada paciente.

Vitaminas para engravidar: indicações para as mulheres

Imagem relacionada

Ácido fólico

Também chamado de vitamina B9, o ácido fólico é o principal suplemento indicado para as mulheres que desejam engravidar. De forma natural, ele pode ser encontrado em alimentos como o feijão, couve, grão de bico, fígado bovino, gema de ovo e o espinafre.
Além de ser essencial para o desenvolvimento do sistema nervoso do bebê, o nutriente é capaz de aumentar a fertilidade feminina. Especialmente porque evita a má formação do óvulo. Ao mesmo tempo, a B9 auxilia o corpo a manter uma boa quantidade de ferro no sangue.

Vitamina B12

Para manter as células do sangue saudáveis e combater a anemia, a vitamina ideal é a B12. Considerando que a  fertilidade feminina está diretamente ligada ao bem-estar do organismo, então, é sempre interessante consumir produtos como frutos do mar, queijos, ovo e fígado bovino.

Vitamina E

O nutriente é indicado como um auxílio para tratamentos de fertilidade, e para o cuidado durante gravidezes de risco. Dessa forma, a mulher precisa manter o consumo regular de castanhas, amendoim, semente de girassol e outros.

Vitamina C

Já a vitamina C é essencial para manutenção de um sistema imunológico forte. A substância também auxilia na absorção do ferro, além de combater uma série de infecções no organismo. O nutriente pode ser encontrado em diversas frutas, como a laranja, kiwi, mamão e morango.

Vitamina A

Também para manter o sistema imunológico fortificado, há a vitamina A. Para consumi-la, é interessante inserir na dieta alimentos como o fígado, mamão, gema de ovo e óleos de peixes. Outra vantagem é que a vitamina previne doenças durante o período fértil feminino, o que poderia dificultar a concepção.

Selênio

O selênio é uma rica fonte de saúde para os gametas da mulher. Ou seja, para que os folículos ovarianos sejam corretamente amadurecidos e liberados, é importante contar com uma boa quantidade da substância no organismo. É possível encontrar o selênio na castanha-do-pará, farinha de trigo, frango, feijão e outros.

Ferro

Assim como a vitamina B12, o ferro é fundamental para a prevenção e o combate à anemia. É o nutriente, também, que permite o aumento dos glóbulos vermelhos e contribui para a entrada do oxigênio das células. Em consequência, todos os órgãos e sistemas são adequadamente irrigados por nutrientes e energia, e assim conseguem manter sua funcionalidade. O ferro pode ser encontrado no feijão, carne vermelha, vegetais verde-escuros, lentilha e mais.

Zinco

Segundo estudos, a deficiência do zinco no organismo da mulher pode prejudicar a fase de amadurecimento dos folículos ovarianos, e assim gerar um óvulo de baixa qualidade. O resultado é que este óvulo pode não se dividir corretamente ao ser fecundado, impedindo a gravidez. Dessa forma, é importante consumir, diariamente, carne vermelha e feijão, além de alimentos como grão de bico e soja.

Potássio

O potássio é um dos nutrientes fundamentais nesse processo de implantação da célula fertilizada. Para obtê-lo de forma natural, é necessário consumir alimentos como bananas e beterrabas.

Riboflavina

Chamada também de vitamina B2, a riboflavina é a responsável por permitir a fixação de todos os outros nutrientes ingeridos no organismo. Ou seja, a substância auxilia no metabolismo de cada um dos alimentos, e assim permite que eles atuem corretamente em todos os sistemas. Inclusive no sistema reprodutor feminino. Para consumir a riboflavina, é necessário incluir na dieta alimentos como  laticínios, soja, fígado, cogumelos e ovo.

Ômega 3 e 6

Tanto o ômega 3, quanto o ômega 6, são ricos nos chamados ácidos graxos, essenciais para a saúde do endométrio. O endométrio é o tecido interno do útero, no qual um óvulo fecundado se instala para desenvolver um feto. Ao mesmo tempo, as substâncias diminuem as chances de abortos espontâneos. Assim, a mulher deve consumi-las sempre que possível, em alimentos como o azeite extra virgem, óleo de linhaça e óleo de girassol.

Licopeno

Para o bom funcionamento dos ovários, amadurecendo e liberando óvulos saudáveis, o nutriente mais interessante é o licopeno. A substância está presente em alimentos com polpa avermelhada e casca, como a melancia, tomate e abóbora.

Inhame

Resultado de imagem para Yam
Todo o processo de amadurecimento de um óvulo e preparação do corpo para a recepção de um embrião é comandado pelo sistema hormonal feminino. Dentre os hormônios do organismo da mulher, um dos principais é o estrogênio. É ele, por exemplo, que amadurece o óvulo até o seu tamanho adequado, e que mantém a produção adequada de muco vaginal, aumentando a mobilidade dos espermatozoides. Assim, é importante manter os níveis do estrógeno na média, e o inhame é um dos meios de fazê-lo. O consumo do produto pode ser feito ao natural.

Vitaminas para o Homem

Vitamina E

No corpo do homem, a vitamina E tem efeitos muito diversos e benéficos. Primeiro, a substância fortalece a produção dos espermatozoides, garantindo que as células tenham o formato e característica genética adequadas. O nutriente também auxilia no tratamento de casos como a baixa, ou nenhuma, contagem de gametas no sêmen. Ao mesmo tempo, consegue prevenir o câncer de próstata, o principal tipo de tumor a atingir a população masculina. Para seu consumo ideal, então, é preciso inserir na alimentação cereais integrais, óleo de girassol, amendoim, espinafre e outros.

Vitamina B12

Se a vitamina E já possui uma série de efeitos no corpo masculino, a B12 tem atuações ainda mais variadas. Primeiro, o nutriente é essencial para funções como a síntese do DNA espermático, metabolismo celular e a maturação do DNA. É ele também que garante a boa motilidade dos espermatozoides, dando aos gametas a possibilidade de nadar e chegar ao óvulo feminino.
Ao mesmo tempo, a vitamina B12 está associada à produção de glóbulos vermelhos e à manutenção das funções cerebrais do indivíduo. A substância está presente em alimentos como peixes, carnes, ovos e laticínios.

Vitamina C

Os chamados radicais livres têm grave efeito sobre a produção dos espermatozoides. Eles podem provocar a não geração de gametas, ou mesmo promover a produção de células malformadas. Por isso, a vitamina C é tão importante no organismo masculino: ela é capaz de combater os radicais livres. O nutriente está presente na laranja, morango, acerola,  pimentão, brócolis e outros.

Vitamina E

Tal qual no corpo feminino, o processo reprodutor do homem é regulado por meio dos hormônios. Dessa forma, é sempre importante manter os níveis hormonais adequados no organismo. A vitamina E é um dos nutrientes que possui atuação direta sobre o nível hormonal do homem, e auxilia em sua produção. Além disso, a substância é capaz de proteger os espermatozoides de mutações. Para consumir o produto, é necessário inserir na alimentação óleo de gérmen de trigo,  amendoim, óleo de girassol, brócolis e outros alimentos.

Zinco

Muitas vezes, um casal encontra dificuldades para engravidar porque o número de espermatozoides presentes no sêmen é inferior ao ideal, de 20 milhões por mililitro do ejaculado. Por isso, é interessante contar com nutrientes que contribuiam para a melhora na contagem das células, como o zinco. O produto está disponível em alimentos como frutos do mar, cereais integrais, feijão, nozes e outros.

Selênio

O selênio é um nutriente fundamental para a saúde dos gametas masculinos. Ele é importante, por exemplo, para a manutenção da forma dos espermatozoides. Ao mesmo tempo, está envolvido na produção do sêmen, no funcionamento da próstata e no metabolismo de uma série de hormônios. É possível encontrar a substância na castanha-do-pará, frango, arroz, carne bovina etc.

Ômega 3

Estudos norte-americanos, ainda preliminares, indicam que o ômega 3 pode ser decisivo em tratamentos da reversão da infertilidade do homem. Sabe-se também que o nutriente melhora muito a movimentação do espermatozoide, facilitando sua natação à procura do óvulo no corpo da mulher. Para ingerir o O3, é necessário consumir produtos como peixes, milho, ovos e laticínios.

Ômega 6 e 9

Ômega 6 e 9 são fundamentais para uma boa qualidade dos espermatozoides gerados nos testículos. Para consumir as substâncias, o homem pode incluir na dieta óleos vegetais, como o óleo de milho, de soja e de canola, e amêndoas, amendoim, castanhas e nozes.

Dicas para engravidar

Resultado de imagem para get pregnant
Mais do que investir na boa alimentação, ou na suplementação de nutrientes, é importante que o casal que deseja engravidar também tome uma série de outras medidas. O cuidado geral com o organismo é um dos passos principais para a concepção, mas não o único. Acompanhe a seguir algumas dicas para engravidar mais rápido. Confira também clicando aqui.

1. Interrompa a contracepção

Sem dúvida, o primeiro passo para quem deseja engravidar é interromper o uso de qualquer método anticoncepcional. Preservativos, DIU, pílulas anticoncepcionais, entre outros. Muitos desses métodos, especialmente os hormonais, levam certo tempo para deixar de agir no corpo. Assim, a mulher que deseja engravidar deve eliminá-los do dia a dia o quanto antes, para que seu corpo se restabeleça e comece a apresentar períodos férteis regulares.

2. Acompanhe seu ciclo menstrual

O ciclo menstrual de uma mulher consiste no intervalo entre uma menstruação e outra. Um ciclo regular possui 28 dias, e no 14º dia após o primeiro dia da última menstruação, a mulher ovula. A ovulação é o processo que libera o óvulo para a fecundação, e que deixa-o disponível por até 72 horas no organismo feminino.
Quando acompanha esse seu ciclo, prevendo a data de ovulação, a mulher costuma ter maior facilidade em engravidar. Isso porque, ela e seu parceiro podem intensificar a prática sexual no período, garantindo que haja espermatozoides no corpo feminino para a fertilização do gameta.
Por esse mesmo motivo, aliás, é interessante que o casal intensifique a prática sexual também três dias antes, e três dias depois da data prevista de ovulação. Afinal, a liberação do óvulo pode ocorrer pouco antes ou pouco depois do imaginado, devido a uma série de fatores externos e hormonais.

3. Interrompa maus hábitos

Uma série de alimentos e substâncias pode prejudicar a capacidade fértil do homem e da mulher. Segundo estudo da American Pregnancy Association, o excesso de cafeína no organismo dificulta a absorção de ferro e cálcio, o que, consequentemente, compromete a capacidade de gravidez.

4. Pratique esportes

Manter a prática regular de exercícios físicos é algo que reduz o estresse e auxilia no controle hormonal. Considerando que os hormônios são os comandantes de todo o processo de liberação de gametas, no homem e na mulher, o cuidado com este aspecto do organismo pode facilitar bastante a gestação.

5. Procure auxílio médico

De modo geral, é interessante que o casal procure auxílio médico assim que se decidir pela gravidez. Na consulta com o especialista, homem e  mulher poderão ter sua saúde avaliada. Caso algum problema de fertilidade seja detectado, então, ele poderá ser logo tratado, evitando meses de tentativas de concepção frustradas. O profissional também pode avaliar a necessidade de interrupção do uso de remédios, e ainda fazer indicação de suplementos. Veja também: Infertilidade: Masculina, Feminina e Tratamentos
É comum que um casal demore até um ano para obter a gestação. Isso porque, por mês só há 20% de chance de concepção, uma vez que a mulher precisa estar em seu período fértil para que ela aconteça. Após 12 meses, contudo, é fundamental procurar um médico. Se a mulher tiver mais de 35 anos, esse prazo deve ser de 6 meses.
Dessa forma, o especialista poderá avaliar a saúde dos indivíduos e perceber um problema de fertilidade não avaliado anteriormente. Nessas situações, o paciente pode passar por tratamento para a questão, ou o médico pode sugerir o uso de técnicas de reprodução assistida, como a fertilização in vitro ou a inseminação artificial.

Deixar uma resposta